Foi por volta das 17h40 do dia de Carnaval (28 de Fevereiro), que um militar da Guarda Nacional Republicana (#GNR), com 40 anos de idade, foi violentamente abalroado por uma viatura ligeira de passageiros desgovernada, na Estrada Nacional (EN) 16, em Cunha Alta, no concelho de #Mangualde, distrito de Viseu. O militar tinha sido chamado para o local momentos antes para regularizar o trânsito, depois de um acidente que tinha ocorrido anteriormente, e até mesmo os bombeiros ainda lá se encontravam a realizar a limpeza e a desimpedirem a via.

Conforme avança a edição desta terça-feira do Correio da Manhã, o atropelamento foi provocado por um carro que aparentemente se descontrolou e foi embater no militar. Este sofreu graves ferimentos, tendo sido ainda assistido pelo INEM no local do acidente, e posteriormente transportado para o Hospital de Viseu em estado grave. Esperemos, no entanto, que consiga sobreviver e que a sua vida não fique em risco. Um militar que apenas estava a regularizar o trânsito após um acidente, acaba afinal por também ser atropelado de forma violenta sem que nada o fizesse prever.

Relativamente ao condutor da viatura que causou o acidente, como é normal nestas situações, foi certamente sujeito a testes para confirmar se estaria ou não sob influência de álcool e/ou drogas. Desconhece-se, no entanto, até ao momento, se esse mesmo condutor é um homem ou uma mulher.

Para o local do acidente foram accionados e estiveram presentes os bombeiros de Mangualde, uma viatura do INEM e ainda militares da GNR, colegas do militar atropelado.

Mais uma vez se comprova que os militares da GNR (ou agentes da PSP), sem qualquer dúvida, correm riscos sempre que se encontram em serviço. Pelos riscos e pela perigosidade inerente à profissão que exercem, a mesma deveria ser considerada, de uma vez por todas, uma profissão de risco.

Novamente, um militar da GNR que apenas estava a cumprir a sua missão, acaba sendo vítima de um atropelamento, ficando gravemente ferido no cumprimento do seu dever. #acidente de viação