Por vezes, pensamos se serão os polícias #heróis ou vilões. Durante o cumprimento do dever, em que eles defendem ou salvam vidas, certamente que são heróis, mesmo que tantas vezes sejam desvalorizados! Estes são heróis, mesmo sem capa, sem espada e sem super-poderes. Usam apenas uma farda e um distintivo ao peito, e até mesmo as armas que trazem no coldre, em vez de os ajudarem, muitas das vezes somente servem para os prejudicarem e lhes destruírem a vida, mesmo que sejam correctamente utilizadas e sempre em último recurso.

Publicidade

Um exemplo? Não é difícil descobrir. Basta recordarmos mais uma vez tudo o que o militar da Guarda Nacional Republicana (GNR), Hugo Ernano, passou desde 2008 até Janeiro deste ano, quando teve que pagar uma indemnização de 55.000 euros aos pais do menor que ele, de forma acidental, atingiu mortalmente durante uma perseguição policial, quando tentava parar a viatura em fuga, conduzida pelo pai desse menor, que o levou pelas próprias mãos para um assalto e o colocou no interior da viatura em questão.

Publicidade

Em contrapartida, para algumas pessoas, os polícias serão, com toda a certeza, considerados vilões. Tudo porque os representantes da lei e da ordem estragam os seus negócios "rentáveis", mas ilegais, ao realizarem rusgas aos seus estabelecimentos e desmantelarem os seus negócios sujos e proibidos. Para os infractores e criminosos, os polícias também serão vilões, quando os apanham em flagrante, ou quando os impedem de efectuar assaltos ou outro tipo de crimes. São igualmente considerados vilões, e até os maus da fita, quando nas suas operações policiais de rotina, multam e até apreendem produtos roubados e ilegais, álcool, drogas, armas e afins..

Publicidade

Mas tudo é para o bem de todos nós, e isso é o que muitas pessoas esquecem. Só se lembram que foram multados e que vão ter que pagar uma multa, mas não tomam consciência que se não tivessem agido de forma incorrecta, não seriam autuados certamente.

Quando despem a farda, todos os polícias são seres humanos como qualquer um de nós. Também possuem um carácter, uma personalidade, brio e muito profissionalismo. E são essas características inerentes à personalidade de cada um deles, que vai defini-los como polícias. E obviamente é o lado humano de todos eles, que fará toda a diferença no seu dia-a-dia e que certamente irá influenciá-los durante o desempenho da profissão que escolheram, a de serem polícias.

Mas é exactamente esse mesmo lado humano que muita gente desconhece num #Polícia! É esse mesmo lado que lhes permite agir com o coração, com a razão e com o bom senso, o que muitas vezes (tantas vezes) lhes é muito útil nas mais variadas situações.

Publicidade

Por diversas vezes, devido às próprias circunstâncias inerentes às funções que desempenham, os polícias são obrigados a agir com frieza, com dureza, quase como se fossem feitos de aço, mesmo que debaixo dessa máscara, eles não sejam frios, não sejam duros e sejam feitos de carne e osso como todos nós. #autoridades