Está montada mais uma verdadeira caça ao homem pelas forças de segurança. Continuam ainda fugidos os quatro suspeitos que, na tarde desta sexta-feira (26 de Maio), aproximadamente pelas 14h30, na rua Conde Ferreira em Penafiel, tentaram assaltar um homem que saía de uma agência bancária com uma mala, supostamente com dinheiro. Tentativa de #Assalto que foi realizada com recurso a armas de fogo. A vitima terá sido mesmo forçada a deitar-se perto da viatura dos assaltantes.

Os assaltantes só não contaram ser descobertos, em flagrante delito, por um agente da Polícia de Segurança Pública (#PSP), que nesse exacto momento saía da Loja do Cidadão onde tinha ido tratar de assuntos pessoais.

Publicidade
Publicidade

A Loja do Cidadão é muito próxima do local. O polícia, que tinha acabado de sair de serviço, encontrava-se fardado, estava na companhia do filho, e tentou mesmo evitar o assalto, disparando vários tiros para o ar, começando dessa forma um tiroteio; os suspeitos atiraram contra o polícia e este, para se defender a si e ao próprio filho, ripostou.

Depois de terem sido descobertos, os suspeitos colocaram-se logo em fuga numa viatura, um BMW de cor preta. Três deles tentaram o assalto e um quarto terá ficado na viatura à espera dos comparsas, o que leva a crer que tenha sido um assalto bem organizado e pensado com pormenor.

Sendo a agência bancária em questão localizada nas traseiras do quartel da Guarda Nacional Republicana (#GNR) penafidelense, os tiros foram rapidamente escutados pelos militares da GNR, o que os levou imediatamente para o local.

Publicidade

As autoridades já encontraram o carro utilizado pelos assaltantes; foi encontrado a arder em Alfena e uma mala preta vazia na variante entre Penafiel e Lousada, conforme poderemos ver na edição de sábado do Correio da Manhã. Presume-se que a mala será mesmo ser a mala roubada.

A Polícia Judiciária também já está no terreno a investigar e a realizar todas as perícias ao local, na procura de vestígios e pistas para o apuramento de todos os factos e responsabilidades. Felizmente não existiram feridos.

Heroísmo, 24 horas por dia

Mais um agente da PSP que, apesar de já não se encontrar de serviço, actuou em defesa de uma pessoa que estava a ser vitima de um assalto, colocando inclusive em risco a sua vida e a vida do seu filho.

Mais uma vez se confirma que um agente da PSP, ou um militar da GNR, são agentes de autoridade sempre, 24 horas por dia, 7 dias por semana, quer estejam de serviço ou de folga.