Mais quatro agentes da #Polícia de Segurança Pública (PSP) foram agredidos no distrito de Setúbal, mais uma vez durante o cumprimento do dever. Foi ao fim da tarde deste último sábado (20 de Maio) que ocorreram desacatos nas proximidades de um estabelecimento de restauração e bebidas do Fogueteiro, no concelho do Seixal.

Pouco tempo depois de os desacatos terem tido o seu início, alertaram de imediato a Polícia de Segurança Pública. Logo depois de alertada, a PSP enviou prontamente uma patrulha para o local com o objectivo de fazer cessar os desacatos e identificar os respectivos intervenientes.

Agentes agredidos à chegada ao local

Mas a patrulha da PSP, mal chegou ao local, foi recebida de forma pouco pacífica e até mesmo agressiva, com cadeiras e garrafas a serem arremessadas contra os agentes por um grupo de indivíduos que, sem que nada fizesse prever, saíram do estabelecimento de rompante, arremessando esses objectos de forma a dificultar e mesmo impossibilitar as identificações.

Publicidade
Publicidade

Desses desacatos resultaram mesmo ferimentos em dois dos elementos policiais.

Um desses polícias agredidos foi mesmo alvo de um murro desferido por um homem com 31 anos. Um dos agentes, devido à extensão de ferimentos que sofreu, teve que receber assistência hospitalar.

O agressor, que posteriormente acabou detido, vai ser acusado pelos crimes de resistência e coacção sobre elementos policiais. Segundo o que o “Diário da Região” avançou hoje (22 de Maio) na sua edição online, o agressor de 31 anos, após ser detido, acabou ainda notificado para comparência em tribunal. Aguarda agora a ida perante a presença a um juiz, para ficar a saber a medida de coacção que lhe vai ser aplicada.

Mais dois casos

De igual forma, um terceiro elemento da PSP sofreu também ferimentos e necessitou de igual forma de receber assistência hospitalar durante a sua actuação num caso de #Violência doméstica.

Publicidade

E o quarto polícia foi agredido quando efectuou a detenção de um homem de 40 anos, desta vez por resistência e coação sobre um elemento policial.

Agressões sem fim à vista

E as agressões aos agentes policiais continuam e tornam-se cada vez mais frequentes e mais violentas. Até quando esses agressores vão continuar a ficar impunes?

Enquanto se sentirem impunes e sem castigos ou punições correctivas, irão continuar a agredir os agentes da PSP e os militares da Guarda Nacional Republicana (GNR). #Crime