As #fronteiras em Portugal foram fechadas por quatro dias, devido à visita do #papa Francisco, ao nosso país. Sua santidade deslocou-se a Portugal como peregrino, para presidir às cerimónias relativas à comemoração dos cem anos das aparições em Fátima e à canonização de Jacinta e Francisco Marto, duas crianças que, em 1917, afirmaram que Nossa Senhora lhes apareceu na Cova de Iria.

Apesar do Papa ter chegado a território português apenas no dia 12, cerca das 16 horas, as fronteiras foram fechadas dois dias antes. O Papa Francisco somente permaneceu no nosso país aproximadamente 24 horas.

O objectivo do fecho das fronteiras era mesmo o de prevenir e evitar a entrada no território nacional de cidadãos, veículos ou meios que pudessem executar ou ser utilizados em acções hostis contra o Papa, durante a sua permanência em Portugal.

Publicidade
Publicidade

Foram mais de 4.500 elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR) que realizaram 1.457 acções de fiscalização e vigilância ao longo das fronteiras terrestre, marítima e fluvial, bem como nos aeródromos e pistas de aterragem, tal como adiantou o Noticias ao Minuto, na sua edição de 14 de Maio. De igual forma, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) esteve no terreno a colaborar com as restantes #autoridades.

Em apenas quatro dias foram quase mil as operações de controlo realizadas em todos os pontos de passagem da fronteira terrestre, bem como 259 em fronteiras marítimas e 36 nas fluviais. Além das fronteiras, também os aeródromos e pistas de aterragem estiveram igualmente sob enorme vigilância das autoridades, tendo ocorrido 166 acções de fiscalização.

Ao todo, foram fiscalizadas pela GNR 146.893 pessoas, 87.833 veículos e 81 embarcações, resultando em 63 detenções, sendo 34 delas por posse de arma proibida, três por branqueamento de capitais, duas por tráfico, duas por permanência ilegal em Portugal e finalmente apenas uma por burla.

Publicidade

Além das detenções, foram feitas apreensões no valor de 708 mil euros, oito viaturas, 46 armas e ainda 36,35 quilos de droga, especialmente haxixe.

Tudo isto deveria servir para que as entidades competentes consigam reflectir um pouco mais no assunto para que tomassem algumas medidas. Se em apenas 4 dias foram feitas tantas detenções e apreensões, quantas seriam realizadas nos restantes dias durante o ano? Quantos serão os infractores que todos os dias entram no nosso país quando as fronteiras estão abertas? Esta na verdade, é uma questão que dá mesmo para pensarmos...