Até ao momento, 62 pessoas perderam a vida e 57 ficaram feridas no #Incêndio no concelho de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria. Dos feridos, alguns encontram-se no entanto ainda em estado considerado grave. O fogo terá tido início nos Escalos Fundeiros, no norte do distrito, tendo já obrigado a alterações do Itinerário Complementar 8 IC8). O corte de eletricidade e de comunicações resultantes do incêndio é algo que está também a preocupar a população neste momento.

Tudo indica que a causa de algumas mortes terá sido a inalação de fumo no interior dos carros que circulavam numa estrada muito próxima da zona do incêndio.

Publicidade
Publicidade

Actualmente existem ainda muitas pessoas que se encontram desaparecidas.

Segundo poderemos ver no Sapo Online, Góis, Pedrógão e Figueiró dos Vinhos são, neste momento, as situações que requerem mais atenção das autoridades.

Como resultado do incêndio que já arde há várias horas, existem aldeias em risco, que estão completamente cercadas pelas chamas. Seriam necessários mais #Bombeiros para ajudarem no combate às chamas.

Tudo indica que as zonas mais afectadas pelo incêndio foram Mosteiro, Vila Facaia, Coelhal, Escalos Cimeiros, Regadas e Graça. As aldeias que estão estão em risco e completamente cercadas encontram-se a ser evacuadas.

Deveria ser muito maior o número de bombeiros a combater as chamas, pois é impossível para os bombeiros acudirem ao mesmo tempo aos vários incêndios que também lavram nos distritos vizinhos.

Publicidade

Aguardam ainda pelo auxílio dos bombeiros de Lisboa.

O combate a este terrível incêndio, que continua a lavrar e conta com quatro frentes activas, conta no terreno com a presença de 1.600 operacionais, tendo ainda apoio de 500 viaturas e de meios aéreos. Existe já apoio de meios aéreos vindos de Espanha e de França.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já esteve nas zonas atingidas. Também António Costa e vários outros governantes lamentaram esta calamidade.

A solidariedade

Já são várias as iniciativas de apoio para ajudar os familiares das vítimas deste enorme incêndio. A Caixa Geral de Depósitos criou já uma conta solidária e a Fundação Calouste Gulbenkian também já disponibilizou um valor monetário para ajudar financeiramente os familiares das vítimas. Clubes da primeira divisão, como o Sporting, o FC Porto e o Benfica, também já estão a enviar ajuda em géneros, como água e alimentos. Os jogadores da nossa selecção vão doar também uma quantia em dinheiro para apoiar as vítimas.

Publicidade

Quem quiser ajudar os familiares das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande pode dar água, fruta e barras energéticas para as corporações de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e Alvares, concelho de Góis, distrito de Coimbra. Basta deslocarem-se a qualquer quartel e entregar esses bens.

Os exames que os estudantes dessas regiões iriam efectuar foram já cancelados por tempo indeterminado em Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, sendo realizados posteriormente.

Pelas 15:30 horas de hoje (18 de Junho), oito estradas nos distritos de Leiria, Coimbra, Castelo Branco e Santarém estavam ainda cortadas ou condicionadas ao trânsito devido aos incêndios.

Até ao momento, existem ainda quatro frentes activas, localizadas em Pedrógão Grande, norte de Castanheira de Pera, Vale do Rio e junto ao IC8 (Itinerário Complementar 8), que ainda se encontra cortado.

Os nossos bombeiros merecem todo o nosso respeito, pois também arriscam a própria vida a combater incêndios, muitas vezes em locais arriscados, com pouca segurança e com difíceis acessos. Muitas vezes passam horas e horas sem comer e sem dormir até a exaustão para tentarem a qualquer custo apagar os fogos e minimizar as consequências dos mesmos. #Tragédia