As agressões contra agentes da Polícia de #Segurança Pública (#PSP) não são de agora. No ano transacto (2016), os agentes agredidos no exercício das suas funções foram 491. E apesar de ainda faltarem 4 meses para terminar o corrente ano (2017), já 280 polícias foram agredidos em serviço, segundo dados avançados pela Associação Sindical dos Profissionais da PSP (ASPP) ao Correio da Manhã. Agressões essas que crescem de forma assustadora a cada dia que passa. Se essa tendência continuar, o risco de o número aumentar é enorme, fazendo mesmo com que o número de agentes agredidos este ano seja superior ao de 2016.

Convém ainda referir o facto que todos os agentes da PSP que foram agredidos necessitaram mesmo de receber tratamento hospitalar, devido a diversas lesões que sofreram.

Publicidade
Publicidade

E obviamente, grande parte das agressões verificadas contra os polícias resultam de situações de patrulha por eles vivenciadas, ocorrendo também durante os eventos desportivos em que estão presentes a serviço.

Uma nova reformulação das patrulhas deveria ser realizada e rapidamente. Todos os polícias em patrulha deveriam sempre ser mais do que dois, para que não corressem tantos riscos de serem apanhados isolados.

Impunidade continua a registar-se

É do conhecimento de todos nós que os agressores continuam impunes. Por isso, seria de vital importância que fossem de imediato alvo de processos sumários e que fossem julgados e condenados pelos crimes cometidos.

Um polícia sabe que tem por missão proteger e defender pessoas e bens, mesmo que com o sacrifício da própria vida. Mas a vida deles, quem é que a protege e defende? As entidades máximas que os tutelam é que deveriam preocupar-se em lhes dar todo o apoio que eles merecem.

Publicidade

Também os tribunais deveriam começar a punir severamente esses agressores sem medo, para que o sentimento de impunidade desaparecesse, eles começassem a recear a justiça e a pensar duas vezes antes de agredir um policia que apenas faz o trabalho que lhe compete.

Obviamente que enquanto essa impunidade continuar, os agressores sentem-se mais fortes e livres para seguirem em frente com mais agressões. Agressões essas que aumentaram drasticamente nos últimos tempos. Como poderão os polícias manter seguros os cidadãos, se eles próprios são os primeiros a estar inseguros? A insegurança dos agentes da PSP é a nossa insegurança. Se agridem com tanta frieza e facilidade um agente da PSP, com mais a vontade agridem um simples e mero cidadão. Agressão a um cidadão é grave, mas a um representante das forças de segurança é muito mais grave. #agentesdeautoridade