Já arrancou a fase de candidaturas ao Jumping Talent que se irá realizar em Março de 2015. Este evento organizado pela Universia Portugal terá a sua segunda edição no nosso país e é uma forma inovadora de captar talentos. Em 2014 a fase final contou com 60 jovens e este ano o número de finalistas foi alargado para 70. No painel de júris vão estar os responsáveis dos recursos humanos de dez empresas multinacionais de vários sectores. Sabendo de antemão as dificuldades que os jovens têm em entrar no mercado de trabalho, esta pode ser uma boa solução.

O que é o Jumping Talent?

O Jumping Talent é um evento organizado pela Universia onde são escolhidos, após candidatura, alguns jovens e recém-licenciados para prestar provas em equipa de forma informal perante um grupo de coaches associados a empresas multinacionais, que vão avaliar as suas competências.

Publicidade
Publicidade

Pode ser assim considerado como uma forma inovadora e divertida, diferente dos normais processos de selecção. Este evento terá lugar no dia 26 de Março de 2015, no Salão Nobre D. Maria II da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.

Quem são os júris do evento?

Os júris ou coaches vão ser elementos responsáveis pelo departamento de recursos humanos de dez empresas multinacionais a ser designadas. No ano de 2014 as sete empresas representadas foram por exemplo: Banco Santander Totta, Deloitte, Accenture, ANA Aeroportos, Grupo Elevo, Grupo Auchan/Jumbo e Unicer.

Quem se pode candidatar?

O evento está aberto a todos os jovens e recém-licenciados. O perfil dos candidatos pode ser de áreas tão distintas dentro da gestão empresarial como comunicação, marketing, gestão, economia, recursos humanos, matemática, psicologia e as diversas engenharias.

Publicidade

Os candidatos devem ter iniciativa e entusiasmo para conseguir demonstrar as suas competências e habilidades através de apresentações, debates e de outras actividades aos coaches. Será necessário também que os candidatos tenham um nível fluente da língua inglesa e apresentem uma carta de motivação ou então uma carta de recomendação de um seu professor da Universidade.

Em resumo, todos podem sair a ganhar com esta iniciativa. Por um lado temos as empresas multinacionais que podem conseguir captar jovens talentos através deste concurso ao vivo, onde vão ser avaliadores directos. No outro polo, estão os jovens que procuram entrar no mercado de trabalho e têm aqui uma boa hipótese de entrar directamente para uma empresa conceituada e já com algum reconhecimento através do potencial que demonstraram no decorrer do evento.

De acordo com os dados apresentados dos 60 finalistas do ano de 2014, 80% foram contactados pelas empresas que estiveram no evento e um terço desses candidatos foi logo contratado. Olhando novamente para o total dos participantes, 80% já se encontra actualmente empregado. #Educação #Inovação