O ano de 2014 caminha a passos largos para o fim e, como tal, importa lançar um olhar sobre os dias de lazer disponíveis no calendário português para o ano que se avizinha. À semelhança do ano corrente, também 2015 contará com nove feriados. No entanto, se em 2014 todos os feriados aconteceram em dias úteis, em 2015 o cenário é distinto: dos nove feriados, apenas seis serão gozados entre segunda e sexta-feira. A abolição do feriado do dia 1 de Dezembro continua a gerar muita controvérsia, mas já lá vamos.

Em Janeiro, e uma vez que se trata de um feriado universal, o primeiro dia do ano, que em 2015 calha à quinta-feira, irá perpetuar-se no tempo, independentemente da situação económico-financeira inerente a Portugal.

Publicidade
Publicidade

Fevereiro é sinónimo de Carnaval, mas nem todos o poderão festejar. Pelo menos em dias úteis. É que o dia 17, terça-feira de Carnaval, é um feriado que goza do estatuto de facultativo, pelo que apenas pode ser contado desde que o Contrato Colectivo de Trabalho reconheça esse dia como feriado.

Em Abril, o calendário português assinala três feriados. Dia 3, Sexta-feira Santa, dia 5, domingo de Páscoa e dia 25, sábado, Dia da Liberdade. Feitas as contas, são quatro os feriados efectivos contabilizados até ao quarto mês do ano, sendo que até ao feriado do dia 1 de Maio (sexta-feira, Dia do Trabalhador) apenas haverá espaço para duas pontes: a 2 de Janeiro (sexta-feira) e 16 de Fevereiro (segunda-feira). A última para aqueles que gozarem o dia de Carnaval. O mês de Junho, que perdeu o feriado religioso do Corpo de Deus (quinta-feira, dia 4) em 2013, conta com o feriado do dia 10 (quarta-feira) - dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas - e com as celebrações de dois feriados locais: Lisboa festeja o Santo António ao 13º dia (sábado), ao passo que mais a norte, no Porto, o São João acontece no dia 24, quarta-feira.

Publicidade

Concluído o primeiro semestre de 2015, os dias de feriado só têm regresso marcado para 15 de Agosto (sábado), com o feriado religioso Assunção de Nossa Senhora. Setembro, Outubro e Novembro não contemplam qualquer dia útil de descanso. De resto, o décimo e o décimo-primeiro meses do ano viram, respectivamente, o feriado da Implantação da República (dia 5) e o dia de Todos os Santos (dia 1), serem riscados do calendário em 2013.

No último mês do ano, o 1º de Dezembro, dia da Restauração da Independência, continua a ser simbolicamente assinalado, após a sua extinção que ocorreu em 2013. Todavia, a abolição deste feriado ainda promete fazer correr muita tinta. Ribeiro e Castro, antigo líder do CDS-PP, é uma de várias personalidades da vida pública e política portuguesa que mais se tem batido pela reposição daquele feriado. O agora coordenador-geral do Movimento 1º Dezembro referiu, no discurso de celebrações do passado dia 1 em Lisboa, que "dê por onde der, 2015 vai ser o ano em que vamos restaurar a Restauração".

Publicidade

Polémicas à parte, em Dezembro, mantêm-se os feriados dos dias 8 (terça-feira, Imaculada Conceição) e 25 (Natal, sexta-feira). #AnoNovo2016