Quando o frio começa a apertar, inicia-se um fenómeno que tem vindo a ser crescente, nos últimos anos: milhares de mensagens nas mais variadas redes sociais, queixando-se da má sorte. Numa breve pesquisa por facebooks, twitters e afins, pode-se ler: " Já tenho saudades do Verão" ou " Só se está bem em casa", num tom notoriamente revoltado por parte dos seus autores. Que será dos nossos amigos suecos, noruegueses e todos da Europa Central e do Norte, que neste momento registam temperaturas médias claramente próximas do zero? Descarregam nos seus seguidores ou tomam as devidas precauções para combater a chegada do Inverno?

Talvez por tamanha vaga glaciar ser caso raro em Portugal, o INEM (Instituto Nacional de Imergência Médica) sentiu a necessidade de emitir, há poucos dias, um comunicado, na qual faz a listagem de cuidados e alertas a ter com o frio, alertando os grupos mais vulneráveis nestes casos, idosos e crianças.

Publicidade
Publicidade

No comunicado, o INEM lembra que "a exposição a baixas temperaturas no interior ou exterior pode causar riscos sérios ou letais para a saúde"

Mesmo dentro de casa, é necessário ter cuidados redobrados. Lareiras e sistemas de aquecimentos terão que ser vigiados, para não causarem incêndios ou inalação de monóxido de carbono. O INEM também alerta para os casos de hipotermia, sobretudo nos idosos e nas crianças. Mãos inquietas, tremores, exaustão, sonolência ou fala lenta são alguns dos principais sinais para casos de hipotermia. É necessário estar especialmente atento.

Passado o fim-de -semana, em princípio, tudo voltará ao normal. Mas como é que os nórdicos passam meses com este frio, questionará muito boa gente. Talvez por eles já estarem tão habituados a tais temperaturas, não se importam com as vagas glaciares que se lhes apresentam à porta.

Publicidade

Quanto a nós, bastou ser anunciada uma vaga fria para este fim-de-semana, para dizermos mal das nossas vidas. Sim, porque isto de vagas não é para nós, isso são coisas do pessoal do Norte. "Frio é chato e aborrece", concluiu uma cibernauta, furiosa com a vida. #Natureza