Já está nas estradas a Operação "Natal Tranquilo 2014" levada a cabo pela Guarda Nacional Republicana (GNR) entre os dias 23 e 28 de Dezembro. Durante os seis dias de operação, cerca de 7870 efectivos da GNR vão patrulhar as principais vias portuguesas, com o intuito de garantir o bom funcionamento do tráfego durante a época #Natalícia. O ano passado, entre as 0 horas do dia 20 e as 24 horas do dia 26, registaram-se mais de 1600 acidentes, que resultaram em 11 mortos e 32 feridos graves, segundo a Divisão de Comunicação e Relações Públicas da GNR. O aumento de tráfego começou a sentir-se na tarde desta terça-feira e é expectável que se intensifique durante o dia de hoje, quarta-feira.

Publicidade
Publicidade

"Prevê-se de facto uma intensificação do trânsito a partir da tarde de hoje [ontem] e que se vai, provavelmente, prolongar durante esta quarta-feira. É essa a nossa previsão", revelou João Figueiredo, do Comando Territorial de Lisboa da GNR. Mais a norte, no Porto, Carla Passeira (GNR/Porto) identificou as vias que contam com a presença de militares durante estes dias. "Temos a Nacional 1, a A1 entre Lisboa e Porto, a A3 entre Porto e Braga, a A28, a Nacional 13, a A4 entre Porto e Vila Real e, por sua vez, o IP4 também".

Para uma viagem segura, os conselhos a adoptar por condutores e passageiros são os de sempre, que nunca é demais sublinhar. Não consumir álcool e evitar o manuseamento do telemóvel, usar cintos de segurança e cadeirinha de bebé, não executar manobras perigosas, adoptar uma condução defensiva, fazer paragens de cerca de 30 minutos a cada duas horas e, acima de tudo, apelar ao seu bom senso.

Publicidade

Sobre o uso do telemóvel, um dos principais potenciadores de acidentes, João Figueiredo deixa o aviso: "É uma forte tendência que não está a ser fácil combater. É uma preocupação da GNR mas, mais uma vez, tem que ser o condutor a dar o primeiro passo, tem que ser o condutor a disciplinar-se quando está dentro do carro". Figueiredo relembra ainda que o simples facto de recorrer ao telemóvel para ver uma mensagem "já constitui infracção", porque, apesar de não estar a falar, ver uma mensagem "já é considerado manuseamento do telemóvel".