É já notícia nacional de que a adoção de crianças por casais do mesmo sexo foi chumbada pela maioria parlamentar. Esta quinta-feira foi chumbada pela maioria CDS-PP e PSD, na Assembleia de República, a adoção de crianças por casais do mesmo sexo. Foram hoje a votação três diplomas do Bloco de Esquerda e "Os Verdes" sobre adoção por casais homossexuais e ainda um diploma do PS sobre co-adoção. Apesar deste último ser aquele que reunia maiores hipóteses de ser aprovado, não foi isso que aconteceu.

Esta é uma discussão já antiga e que infelizmente hoje nenhum deste projetos vai ver a luz do dia. A maioria parlamentar do PSD e do CDS-PP chumbaram hoje, na generalidade, todos projetos que possibilitavam estender aos casais de homossexuais a adoção de crianças.

Publicidade
Publicidade

A maioria dos deputados da bancada do PS votou favoravelmente os quatro diplomas em votação. Todos os diplomas obtiveram votos a favor da totalidade dos deputados das bancadas do PCP, do BE e do PEV. Apesar de ter existido liberdade de votação, segundo o líder parlamentar social-democrata, Luís Montenegro, de todos os deputados do PSD, nenhum dos diplomas foi aprovado.Foi inédito também um "sim" do Partido Comunista Português, mas não foi suficiente para a aprovação de algum dos quatro diplomas.

A Amnistia Internacional de Portugal já se manifestou e publicou na sua página oficial do Facebook que é lamentável que este projeto de lei tenha sido chumbado. Podemos ainda ler na sua página oficial online "A AI Portugal considera, na defesa do superior interesse da criança e de acordo com a Convenção sobre os Direitos da Criança, que a criança deve poder dispor através da adoção de uma atmosfera familiar em que possa desenvolver as suas plenas capacidades como pessoa." A amnistia defende ainda que é importante não se fomentar a distinção e a discriminação de pessoas de acordo com Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Publicidade

Apesar deste chumbo, o governo já prometeu fazer um referendo à população sobre o assunto e de cada vez que o debate volta, o mundo cresce e evolui e quem sabe se a grande oposição diminui. #Família