Um recém-nascido foi abandonado junto à escola "Casa de Santa Ana", em Setúbal, na madrugada de dia 28 de Dezembro. O bebé do sexo masculino, com poucas horas de vida, foi encontrado enrolado numa manta, dentro de uma cesta e com o cordão umbilical ainda por cortar. Após ter sido encontrado e terem sido alertadas as autoridades, o menino foi encaminhado para a unidade de pediatria do Hospital de São Bernardo, em Setúbal, onde estará a ser acompanhado. Apesar das temperaturas extremamente baixas, o bebé não apresentava sinais de perigo de vida.

O homem que o descobriu tem 40 anos de idade e é um dos descarregadores de peixe do Mercado do Livramento.

Publicidade
Publicidade

Segundo o seu relato, encontrou o recém-nascido quando se deslocava para o mercado na sua bicicleta, por volta das 3h35. Estava na Estrada dos Ciprestes à porta do colégio dentro de uma cesta e enrolado numa manta. Assim que o homem se apercebeu que se tratava de um bebé, ligou de imediato para as autoridades que se deslocaram ao local. Foram os próprios agentes da PSP que acabaram por transportar o bebé para o hospital para determinar o seu estado de saúde. O caso está agora a ser investigado pela Polícia Judiciária de Setúbal.

O número de crianças abandonadas tem aumentado substancialmente desde 2012. De acordo, com os dados do relatório anual da avaliação da Atividade das Comissões de Proteção de Crianças e Jovens em Risco, em 2013 mais de 71.500 crianças necessitaram de acompanhamento, um número superior em 1.500 comparativamente ao ano anterior.

Publicidade

Apesar de parte dos casos serem arquivados, no final de Dezembro de 2013 cerca de 37 mil processos estavam ainda ativos.

Ainda que nem todas as situações sejam iguais, habitualmente os casos de abandono derivam de famílias que vivem em situações de extrema dificuldade, nomeadamente mulheres vítimas de violência doméstica, sendo o abandono considerado um ato de desespero. De acordo com especialistas, a mãe, ao reconhecer que não tem condições para criar o filho, abandona-o num local onde sabe que será rapidamente encontrado e acolhido, como é o caso de um convento ou numa instituição solidária, na esperança de que quem o encontre lhe dê uma vida mais estável. #Família