No dia em que se assinala o primeiro aniversário do falecimento de Eusébio da Silva Ferreira, o SL #Benfica encabeça um conjunto de homenagens à memória do seu grande símbolo. Às 11 horas, será celebrada uma missa pelo 1º ano da morte do King. Por respeito à família e aos amigos, esta cerimónia a realizar na Igreja do Seminário da Luz será privada. Contudo, a essa mesma hora, inicia-se a primeira de duas visitas guiadas ao Museu Benfica, dedicadas a Eusébio. Às 12h30, inicia-se um cortejo até ao cemitério do Lumiar, onde o Pantera Negra repousa. 


Pelas 14h30, acontece o grande momento oficial do dia, com o presidente da autarquia lisboeta António Costa a juntar-se a Luís Filipe Vieira para a inauguração da avenida Eusébio da Silva Ferreira. Trata-se de rebaptizar o troço da Segunda Circular em frente ao Estádio da Luz e aos respectivos ramais de acesso. E pelas 16h00, inicia-se a segunda das duas visitas guiadas ao museu dos encarnados, com Eusébio como mote.


É ainda de assinalar que o próximo jogo do SL Benfica para a Primeira Liga, contra o VSC de Guimarães, o primeiro após este 1º aniversário do falecimento do Pantera Negra, servirá também para prestar homenagem a Eusébio. O jogo decorre no Estádio da Luz, Sábado dia 10, pelas 17h00. O SL Benfica vem de uma vitória por 3-0 contra o FC Penafiel, um dos últimos classificados, mas os minhotos estão em terceiro lugar e são uma das equipas mais perigosas desta Liga.    


Recorde-se que é incorrecto citar o talhão 439, do cemitério lisboeta do Lumiar, como a "última morada" de Eusébio. É mais apropriado notar que é a sua "penúltima morada", uma vez que os líderes das bancadas parlamentares da Assembleia da República decidiram, poucos dias após a sua morte, que o Pantera Negra irá repousar, no futuro, no Panteão Nacional, o monumento escolhido para homenagear os heróis da Pátria. Mais precisamente na Igreja de Santa Engrácia, em Lisboa, uma vez que este é 1 dos 2 monumentos nacionais com estatuto de Panteão, a par da Igreja de Santa Cruz, em Coimbra, onde estão D. Afonso Henriques e S. Sancho I. Não se conhece ainda a data em que Eusébio será trasladado para o Panteão lisboeta.