A empresa VidaEdu lançou um novo programa de estágio remunerado na Austrália. Este programa tem duas opções distintas: o Visto de Estágio, que tem como principal objetivo o patrocínio do visto e o Visto Trabalho & Férias, que concilia o trabalho com as férias. Independentemente da opção escolhida, os participantes terão uma remuneração correspondente ao salário mínimo australiano, aproximadamente 440 Euros. Com uma duração entre 6 e 12 meses, o programa aceita participantes de idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos e de qualquer área profissional.

Além da idade, é necessário ter um nível de Inglês intermédio ou avançado e cumprir os requisitos do visto Work & Holiday, ou seja ser licenciado ou ter no mínimo dois anos de estudos académicos, não ter dependentes, não ter participado anteriormente num programa Working Holiday na Austrália, ter 5000 dólares australianos para pagar a viagem de regresso, entre outros.

Publicidade
Publicidade

Com o objetivo de relaxar e recuperar o jet lag, à chegada são oferecidos três dias de descanso na praia de Fraser Coast. Aos participantes é garantida, durante toda a estadia, o alojamento na entidade empregadora e a remuneração equivalente ao salário mínimo do país. Inicialmente será ministrado um curso de preparação para as tarefas que serão executadas durante o estágio, que podem abranger diversas áreas, nomeadamente Hotelaria e Turismo, #Educação e Animais e Agricultura.

Durante o ano de estadia é possível trabalhar em 3 entidades distintas, desde que não ultrapasse os 6 meses seguidos na mesma entidade. Caso trabalhe os 6 meses consecutivos, devem ser tiradas 6 semanas de férias antes de iniciar um novo trabalho noutra entidade e se trabalhar 3 meses consecutivos devem ser tiradas 3 semanas de férias.

Publicidade

O início do estágio pode ser efetuado em qualquer mês entre Fevereiro e Novembro e é necessário o preenchimento do formulário de pré-inscrição disponível no site da empresa. Além deste estágio na Austrália, a empresa portuguesa também disponibiliza estágios remunerados no Reino Unido, Islândia, Noruega, Itália, Malta, França e Bélgica.