Sensivelmente quatro meses depois da última greve, a Função Pública vai paralisar novamente no próximo dia 13 de Março. O anúncio foi feito esta quarta-feira, dia 28 de Janeiro, por Ana Avoila, dirigente da Frente Comum, em conferência de imprensa. A decisão foi tomada pelo órgão coordenador dos sindicatos que englobam a Frente Comum. Na origem da greve que se avizinha estão o aumento do horário de trabalho, os cortes salariais e os processos de requalificação da Função Pública.

Ana Avoila defende que esta paralisação é convocada para "exigir a reposição imediata das 35 horas semanais [actualmente são 40], a revogação da lei de requalificação e o descongelamento das posições remuneratórias", sublinhou, em declarações ao Jornal de Negócios.

Publicidade
Publicidade

A última greve da Função Pública ocorreu a 8 de Novembro de 2014. O aumento do horário de trabalho de 35 para 40 horas semanais, estabelecido o ano passado, continua a ser alvo de discórdia entre sindicatos e Governo, pelo que os primeiros têm vindo a desenvolver os esforços necessários que conduzam à reposição do horário para 35 horas.

A lei da requalificação - agora aplicada em maior escala no Instituto de Segurança Social - prevê que cerca de 600 pessoas passem a integrar o quadro de excedentários, o que significa que os funcionários nesta situação passam a receber 60% do vencimento no primeiro ano, com o limite máximo a fixar-se em 1.258 euros. 150 funcionários integram a primeira lista da "requalificação", pelo que a segunda fase do processo deverá integrar mais de 400 pessoas. Finalmente, apesar das progressões de carreira na Função Pública se encontrarem congeladas, o executivo de Pedro Passos Coelho anunciou, no início de janeiro, que será criada uma nova carreira com aumentos salariais para os trabalhadores da Direcção-Geral do Tesouro e Finanças, Direcção-Geral do Orçamento, e do GPEARI (Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais).

Publicidade

Funcionários públicos em manifestação pelas 35 horas semanais

Está agendada para esta sexta-feira, dia 30 de Janeiro, uma manifestação de trabalhadores da administração pública que exige ao Governo a reposição das 35 horas de trabalho semanais. O protesto, que vai decorrer entre o Príncipe Real e o Ministério das Finanças, em Lisboa, tem início às 14h30 e é convocado pela Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública.