Uma das grandes preocupações dos clientes bancários é saber se uma determinada conta que tinham foi ou não devidamente encerrada. Neste momento isso já é possível de ser feito sem que seja obrigatória a deslocação a um balcão desse Banco. Foi agora disponibilizado o Portal do Cliente Bancário, onde se pode analisar o histórico de todas as contas a que um determinado NIF pertenceu. Nuno Rico, economista da DECO, congratulou-se com esta nova funcionalidade disponibilizada pelo Banco de Portugal (BdP) que em muito irá ajudar os consumidores.

Uma das grandes fontes de reclamação, por parte dos clientes de instituições bancárias, prende-se com o facto de serem cobradas comissões de manutenção em contas que julgavam estar já encerradas.

Publicidade
Publicidade

Com este novo serviço, qualquer consumidor pode aceder ao Portal do Cliente Bancário com os seus dados do Portal das Finanças (NIF e senha de acesso) e validar em quantas contas ativas é que é titular. Esta informação era prestada anteriormente nos balcões do BdP ou através de carta ao próprio titular das contas ou um representante legal, mas para além de ser um serviço pouco conhecido, não era também de fácil acesso.

Na Base de Dados de contas bancárias irá constar a informação sobre as contas de depósitos, pagamentos, contas crédito e instrumentos financeiros. O BdP afirma através de comunicado que todas as pessoas têm o direito de estar informadas sobre o conteúdo desta base de dados, estando no entanto salvaguardados todos os seus dados pessoais.

A DECO pretende, que à semelhança desta base de dados do BdP, exista uma outra base de dados que permitisse aos consumidores terem conhecimento de todos os títulos registados num qualquer nome e que constem nas diversas carteiras dos intermediários financeiros supervisionados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Publicidade

Este pedido tem por base a atual legislação que passa automaticamente para o Estado todos os títulos que estejam por reivindicar por herdeiros de um titular falecido há mais de 15 anos, mas até à data ainda não foi transmitido qualquer parecer no sentido da criação da base de dados em questão. #Bancos