Laura Ferreira está a lutar contra um cancro nos ossos, segundo avançou recentemente o cronista Cláudio Ramos, no programa "Queridas Manhãs", exibido todos os dias úteis, na SIC. A confirmação da doença foi feita por Passos Coelho, na passada semana, em comunicado enviado à Agência Lusa. Laura Ferreira e Pedro Passos Coelho estão casados desde 2004. O primeiro-ministro de Portugal pede "respeito" e "privacidade" neste momento tão delicado.

De acordo com a informação adiantada pela própria Laura Ferreira a Cláudio Ramos, a doença foi diagnosticada em Novembro último, após se ter deparado com um pequeno alto no joelho.

Publicidade
Publicidade

Natural de Bissau e fisioterapeuta de profissão, Laura Ferreira esteve internada no Instituto Português de Oncologia de Lisboa, sendo que lhe foi dada alta clínica nos últimos dias.

Com o intuito de colocar um ponto final na especulação gerada em torno deste assunto, Pedro Passos Coelho enviou uma nota pessoal à Lusa, onde confirma que a sua esposa sofre de "um problema do foro oncológico", que já está a ser "devidamente acompanhado". No comunicado, o presidente do PSD apelou ainda ao respeito pela família e à "reserva de privacidade", na medida em que se trata "de um assunto privado". Cláudio Ramos, por seu turno, conversou com Laura Ferreira e garante que a cônjuge de Passos Coelho "está optimista".

Passos Coelho e Assunção Esteves estiveram em Paris

O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, e a presidente da Assembleia da República, Assunção, Esteves marcaram presença este domingo, em Paris, na marcha silenciosa dos líderes europeus contra o atentado à redacção do Charlie Hebdo.

Publicidade

Além de Passos Coelho, outros chefes de Governo desfilaram ao lado do Presidente francês, François Hollande, e do primeiro-ministro daquele país, Manuel Valls, como são os casos de Mariano Rajoy (Espanha), Matteo Renzi (Itália), David Cameron (Reino Unido), Charles Michele (Bélgica) e a chanceler alemã, Angela Merkel. Segundo dados do jornal "Le Figaro", a manifestação reuniu mais de 2 milhões de pessoas, em Paris.