Um homem, gerente de uma hospedaria no Porto, 49 anos, faleceu ontem, dia de Ano Novo, depois de ser atacado com facadas por um dos seus clientes. O suspeito, inicialmente, fugiu, mas veio a entregar-se às autoridades, ainda ao final da tarde de ontem. O caso deu-se na rua do Bonfim, entre o campo 24 de Agosto e a estação de Campanhã. Além do morto a lamentar, no ataque ficou também ferida a esposa do dono do estabelecimento, que consegui sobreviver.


Existem duas versões relativamente à origem do desentendimento entre os dois homens. A generalidade da imprensa aponta que terá sido "uma televisão" a causa do desentendimento, mas sem especificar se se tratava de qual o canal a ver ou da posição do eletrónico em relação à mobília. Mas o Correio da Manhã aponta que se terá tratado de uma situação motiva por falta de pagamento. O dono do estabelecimento, e a sua esposa, terão retirado as chaves do quarto ao seu cliente. Embriagado e com um histórico de toxicodependência, o homem avançou para o quarto dos dois gerentes e atacou-os com uma faca de bolo-rei. A esposa do gerente foi operada e encontra-se já livre de perigo.


Este caso surge cerca de 4 meses depois de um caso semelhante, também ocorrido na baixa do Porto, mas em sentido inverso. Em Setembro, o gerente de uma hospedaria foi detido pela Polícia Judiciária, acusado de ter assassinado um dos seus hóspedes. O motivo terá sido o acumular de dívidas por parte do seu cliente, relativamente aos seus serviços. Além deste crime, o empresário fechou o cadáver num saco, embrulhado com fita-cola, e guardou-o na sua arrecadação durante vários meses. De acordo com o JN, o criminoso havia tido o descaramento de mostrar, aos repórteres do jornal portuense, a arrecadação onde o cadáver veio a ser encontrado. Isto porque o empresário estaria a colaborar com as autoridades na localização da vítima, desaparecida há vários meses, sendo que lamentava o seu desaparecimento "uma vez que não tinha pago os 750 euros que devia, entre alugueres e refeições."