O maior problema relativamente ao bullying é que, na maior parte das vezes, os pais, técnicos e professores não o sabem, ou, simplesmente, não estão interessados em saber. Isto é extremamente grave porque 80% dos casos são resolvidos com a intervenção dos adultos. Existe, também, um outro grupo de intervenientes que são os observadores, todos aqueles que observam e têm conhecimento das situações, e que não as denunciam. Esses podem fazer a diferença na vida de uma vítima! O alerta foi dado por Luís Fernandes, Psicólogo Educacional e Mestre em Observação e Análise da Relação Educativa, que se deslocou, esta sexta-feira, dia 6 de Fevereiro, à Escola Básica 2,3 da Galiza, em São João do Estoril, a convite da Associação de Pais da mesma escola, para administrar palestras a alunos do segundo e terceiro ciclos, pais e professores.

Munido de material multimédia e com uma capacidade invejável de captar a atenção dos jovens, Luís Fernandes identificou as situações que caracterizam o bullying e os sinais que as vítimas apresentam. E, fique sabendo que o que pensa saber sobre o assunto é "apenas a ponta do iceberg", como diz o técnico. O que revela a extrema importância de a comunidade educativa ser formada e informada sobre os procedimentos a ter.

Mas afinal o que é o bullying? São todas as situações em que um protagonista (o bully/agressor) magoa intencionalmente alguém (vítima), com muita frequência perante a ausência ou presença de outras pessoas (observadores). Pode registar-se aos seguintes níveis: Físico; Verbal; Psicológico; Sexual; Virtual (ciberbullyng); e muito recentemente Homofóbico. Segundo Luís Fernandes, o Bullying é uma "ausência de competências sociais" que existe em todas as escolas, não discrimina sexo nem classe social.

O técnico tem uma experiência de mais de 10 anos em intervenções em espaços escolares e que se traduziu no livro intitulado "Plano Bullying - Como apagar o Bullying na escola" editado pela Plátano Editora. Inclui CD-Rom e material didáctico que sugerem estratégias para combater o fenómeno. Uma ferramenta poderosa para mudar a realidade em Portugal. #Família

Mas a luta tem pela frente um grande obstáculo: muitos pais não valorizam o comportamento dos seus filhos, quer quando são vítimas quer quando são agressores, chegando mesmo a boicotar qualquer tentativa de ajuda por parte da escola. Outros nem se sensibilizam para a questão.... A prova foi a sala vazia com os poucos encarregados de #Educação que assistiram à palestra, contrastando com as duas sessões esgotadas de meninos participativos e ansiosos de informação.