Com 73 anos, Daniel Ricardo era um apaixonado pelo ensino do jornalismo e desempenhava as funções de editor executivo do gabinete editorial da Visão, revista fundada pelo jornalista. Daniel Ricardo tornou-se jornalista em 1968, ano em que trocou o curso de Direito, que frequentava há quatro anos, na Faculdade de Direito de Lisboa, pelas redações nacionais.

Iniciou a sua carreira de jornalista na redação do vespertino A Capital, onde revelou ser um profissional à altura, ascendendo, rapidamente, a funções de chefia. O seu percurso foi também marcado pelas revistas Flama e Século Ilustrado. Figura conhecida do jornalismo em Portugal, Daniel Ricardo teve, após o 25 de Abril, vários cargos de destaque em diversas redações.

Publicidade
Publicidade

O jornalista foi chefe de redação no Diário de Notícias e no Sete, editor de O Diário, jornal que estava ligado ao PCP, e editor-chefe de O Jornal.

Em 1978, descobriu uma outra paixão. Aliado ao seu trabalho no jornalismo, o ensino era também uma das profissões que mais gostava de exercer, complementando e reforçando a sua carreira, que por si só já era de valor. Começou por ser professor do ensino secundário, e, mais tarde, mais precisamente no ano 1990, passou a dar formação no Cenjor (Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas).

Foi jornalista, professor e posteriormente escritor. Como colaborador do Cenjor, escreveu manuais de jornalismo como Ainda Bem que Me Pergunta, Manual do Jornalista e O Jornalismo Explicado aos Jovens, estes dois últimos escritos em conjunto com José Jorge Letria.

Publicidade

Daniel Ricardo abriu novos horizontes ao ensino, coordenando a Pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Nova de Lisboa.

Apesar de possuir um percurso multifacetado e uma vasta experiência, adquirida em diferentes redações, a revista Visão ser-lhe-á sempre associada. Em 1993 foi um dos nomes da equipa fundadora da Visão, onde se manteve até ao fim dos seus dias, tendo sido o autor do livro de estilo da revista. Daniel Ricardo era também membro do secretariado da Comissão da Carteira Profissional de Jornalista. Detentor da carteira profissional número 78, o jornalista era, segundo o que a revista Visão recorda, "um dos mais antigos da profissão" em Portugal.

Daniel Ricardo era, até esta sexta-feira, editor executivo do gabinete editorial da revista Visão. O jornalista morreu esta sexta-feira, dia 13, vítima de uma pneumonia, após doença cancerígena, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde se encontrava internado há alguns dias. Os detalhes em torno do funeral não foram ainda revelados pela Visão.

Publicidade

"Veterano de muitas redações, mas sempre com uma resistência que parecia inesgotável, ajudou a formar várias gerações de jornalistas, com o espírito crítico e rigoroso com que lia e corrigia todos os textos que lhe passavam pelas mãos, sempre focado no rigor e elegância da escrita, a coerência das informações e a vigilância no cumprimento dos princípios deontológicos da profissão". Foi desta forma que foi comunicada, via internet, a perda de um jornalista que contribuiu para a evolução da profissão. A revista Visão declarou que Daniel Ricardo deixará uma "profunda saudade" na redação da revista.

Em 1941 o mundo do jornalismo recebeu uma dádiva. A 13 de Fevereiro de 2015, o jornalismo ficou de luto.