Costuma-se dizer que o azeite vem sempre ao de cima e agora não é para menos, pois o preço desta substância tão apreciada no nosso país irá aumentar. O preço do azeite vai subir, muito em breve, por causa da diminuição da produção, verificada em 2014. Como causa deste créscimo, estão as péssimas condições climatéricas, que, na altura da produção da azeitona, sentiram-se de forma agravada. Uma vez que o custo na produção irá aumentar, o mesmo se passará no preço que o consumidor final terá de pagar.

"O preço na origem do azeite vai ter um aumento superior a 60%, pois tivemos uma diminuição em cerca de 25% no que à produção nacional diz respeito.

Publicidade
Publicidade

Desta forma, o preço para o consumidor final irá aumentar e muito", afirmou a secretária-geral da Casa do Azeite, Mariana Matos.

"Desde Junho do ano passado (2014) que o preço do azeite tem aumentado consecutivamente. E agora, com estes resultados que ficámos a saber nos últimos tempos sobre a produção nacional, ainda aumentará mais. O mau tempo que se fez sentir em 2014 prejudicou, e muito, a produção da azeitona. Principalmente em fases como a floração dos frutos e da maturação final", continuou.

Mas nem tudo são más notícias. Mariana Matos refere ainda que o preço irá aumentar gradualmente, mas é possível que até possa manter-se como está devido à desvalorização do euro, que é um factor importante para as exportações do azeite português. "A desvalorização do euro deverá ter um impacto bastante positivo nas exportações do azeite, dado que a maioria das exportações efectuadas são para países extracomunitários.

Publicidade

O que irá contrariar o aumento do preço para o consumidor final", observou a responsável da Casa do Azeite.

Por sua vez, o director da Associação de Agricultores dos conselhos de Abrantes, Mação, Sardoal e Constância, João Nuno Alcaravela, revela que este e o próximo ano deverão ser melhores em termos de produção. "Apesar de saber que o preço do azeite irá aumentar brevemente, para o ano não será assim. As medidas do programa de desenvolvimento Rural (PDR), em vigor até ao ano de 2020, têm linhas orientadoras que serão fundamentais para instalar novos agricultores. As ajudas à agricultura empresarial, no seu todo, contaram com apoios até 30 mil euros", refere.

De salientar que estes apoios comunitários podem ser pedidos por indivíduos com idades até aos 40 anos, inclusive, sem nunca importar os anos de actividade #Família