É realmente o fim de uma era: Belmiro de Azevedo é cara da Sonae e um dos homens mais ricos do mundo, sendo o rosto da fortuna para toda uma geração. Mas como tudo tem um fim, chega agora a notícia de que Azevedo sairá da empresa para dar lugar a uma renovação e a talentos mais jovens: ou seja, o seu filho, Paulo Azevedo.

O jornal "Económico" apurou e já divulgou a possível notícia desta segunda-feira, dia 9: "Belmiro de Azevedo, presidente do conselho de administração da Sonae, irá nas próximas horas anunciar a saída dos órgãos sociais (…). Para lhe suceder, Belmiro de Azevedo indica Paulo Azevedo, tal como já tinha feito em 2007, altura em que abandonou o cargo de presidente executivo".

Publicidade
Publicidade

Paulo Azevedo irá, a partir de agora, dividir responsabilidades na presidência da comissão executiva com Ângelo Paupério, o actual vice-presidente da Sonae. Belmiro abandonará igualmente cargos na Sonae Indústria e na Sonae Capital.

Para quem, por alguma razão, desconhece a Sonae, fica aqui a sua apresentação: fundada em 1959, por Afonso Pinto de Magalhães, passa para Azevedo em 1982. Empresário que faz crescer o investimento exponencialmente até tornar a empresa numa das mais ricas em Portugal: tornando-se também ele um dos mais ricos homens do mundo. A Sonae é uma empresa que detém cerca de 40 centros comerciais (através da Sonae Sierra, detentora do Colombo e do Vasco da Gama, por exemplo) e apresenta parcerias também em áreas como media e telecomunicações (através da Sonaecom, actual NOS, por exemplo).

Publicidade

É um dos grupos económicos que mais emprega em Portugal, sendo, por isso, bastante relevante a forma como é gerido o seu futuro.

Aos 77 anos, Belmiro de Azevedo passa agora definitivamente o testemunho ao seu filho, de 49 anos, Paulo Azevedo, que já ocupa cargo relevante na Sonae há muitos anos e que é também já cara conhecida do público português. É sabido que Belmiro de Azevedo já pensa na sua saída há algum tempo. Aguarda-se apenas agora comunicado oficial: e a empresa fica assim em família, como seria de esperar. É efectivamente o final de uma era para toda uma geração crescida nos anos 90.