Desta vez foi em Leiria. Mas já foi no Porto, em Lisboa e em Coimbra. Os clientes lesados do Banco Espírito Santo (BES) voltaram a manifestar a sua revolta e indignação pelo facto de não serem reembolsados pelo dinheiro que investiram em papel comercial do Grupo Espírito Santo. Os cerca de 2500 clientes estão desde Novembro a aguardar por soluções, para que lhes sejam devolvidos os mais de 500 milhões de euros que investiram.

Apesar das muitas manifestações e protestos, a única coisa que os clientes lesados têm visto são sucessivas lutas entre supervisores (Banco de Portugal e CMVM) e a administração do Novo Banco, todos eles declarando não ter responsabilidades no reembolso do dinheiro investido.

Publicidade
Publicidade

Os clientes lesados já formaram um associação dos lesados e indignados do papel comercial (AILPC), tendo inclusivamente contratado um conhecido advogado com experiência neste tipo de situações, já que representou os clientes do BPP num caso semelhante ao do BES.

As esperanças dos clientes lesados, que investiram em papel comercial do GES, ganha assim uma nova força, já que no caso do BPP foi encontrada uma solução que salvaguardou os direitos dos investidores. Na realidade, as possíveis soluções agora colocadas em cima da mesa passam pela tentativa de, à semelhança do que foi feito no caso do BPP, fazer diligências no sentido de promover negociações entre as entidades envolvidas, nomeadamente com o ministério das Finanças procurando assim uma garantia do Estado para um plano de reembolso a prazo.

Publicidade

Outra solução é a que resulta das muitas ações judiciais que os clientes particulares e coletivos têm instaurado em tribunal que têm que ver com o desmoronamento do BES, ou seja, havendo uma decisão que aprove a devolução de papel comercial, é possível que se sigam todas as outras, baseando-se em princípios de jurisprudência. Outra solução, ainda que mais ténue, passa pelo "banco mau", ou seja, caso consiga recuperar os seus ativos, poderá dessa forma haver possibilidades de fazer o tão desejado reembolso aos clientes lesados do BES. #Bancos #Justiça