Foi inaugurada no passado domingo, dia 15, pelos familiares das vítimas da praia do Meco uma escultura de João Cutileiro. É uma cruz em mármore e granito com os nomes dos 6 estudantes (também em pedra), colocados em seu redor. O monumento foi colocado ali no areal com a colaboração do presidente da câmara de Sesimbra, porém não é do agrado de todos. Já circula na internet uma petição com o objectivo de o remover do local. A petição já foi assinada por mais de 1000 pessoas que apelam ao Instituto de Conservação da #Natureza e Florestas que seja feita a remoção de todo o memorial da praia. Dizem estar em causa o bem-estar, conforto da população e o turismo da zona.

Quem subscreveu a petição alega que a praia "é um sítio de recreio, descanso e não é adequado para colocar, nem estátuas, nem nomes". Dizem também não desejarem ali "qualquer tipo de tributos a quem partiu pois a praia não tem culpa e ninguém tem de carregar com o peso". Pedem, em nome da população e turismo local, que as peças sejam dali removidas e antes colocadas no cemitério de Aiana.

A autora da petição, de 55 anos, é proprietária de uma casa perto da praia e diz que frequenta o local desde a infância. Afirma que desde o incidente, a região tem vindo a sofrer um declínio acentuado a nível no turismo. "A tragédia veio prejudicar bastante o comércio local", acrescentando ainda que a praia, no verão de 2014, esteve tão vazia como nunca a viu. Sabe perfeitamente que, pelo pior motivo, é agora um local de pesar mas afirma não ser correcto. A autora diz que tanto em outras praias, como no Meco, também morreram pescadores e, no entanto, não obtiveram nem monumento, nem homenagem. Segundo vários comentadores e frequentadores habituais da praia (que assinaram a petição), o tributo é mais do que uma pedra, será permanentemente um local onde virão colocar flores e apresentar o seu luto.

A câmara de Sesimbra recusa que sejam levantadas qualquer tipo de polémicas. Segundo uma fonte oficial da autarquia, o monumento foi erguido a pedido dos familiares das vítimas. A instalação do mesmo no areal teve apoio dos serviços camarários e garante que só foi feito após ter tido o parecer das entidades que gerem toda a área do ponto de vista ambiental.