O relatório Portuguese Emigration Factbook, divulgado esta sexta-feira, dia 20, concluiu que Portugal é o país pertencente à União Europeia com mais emigrantes, ficando apenas atrás de Malta, país com menos de 500 mil habitantes. Existem mais de 2 milhões de portugueses emigrados, número que corresponde a cerca de 20% da população residente em Portugal.

Segundo os especialistas, "a emigração portuguesa é hoje uma emigração europeia". Só em 2013 terão emigrado à volta de 110 mil portugueses, sendo que dos 16 países mais escolhidos, 10 são europeus, destacando-se o Reino Unido (30.121), Suíça (20.039), França (18.000) e Alemanha (11.401), com maior número de entrada de portugueses.

Publicidade
Publicidade

Para fora do continente europeu, foram Angola (4651) e Moçambique (3759) os países mais escolhidos.

Apesar de o Reino Unido dominar as preferências dos emigrantes portugueses, este nem aparece no topo da lista de países com mais residentes vindos de Portugal. Essa lista é ainda dominada pela França, com 592.281 residentes portugueses, seguida da Suíça (211.451), Estados Unidos da América (158.002), Canadá (140.310), e Brasil (137.973).

O relatório refere ainda que, apesar da recente vaga de jovens emigrantes para os países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Económico (OCDE), a população portuguesa emigrada nestes países está cada vez mais envelhecida. Os especialistas do Portuguese Emigration Factbook contam ainda que a percentagem de emigrantes com curso superior nos países da OCDE cresceu mais de 50% entre os anos de 2001 e 2011, demonstrando assim que a emigração deste últimos anos é mais qualificada do que a do passado.

Publicidade

Contudo, apesar destes dados, o relatório afirma que ainda é prematuro falar em "fuga de cérebros", já que a informação que consta dos censos de 2010/11 não possibilita dizer que a "maior qualificação seja superior à qualificação da população portuguesa em geral", porque até àquela data, o crescimento da população emigrada com um diploma do ensino superior fez-se ao mesmo ritmo do crescimento da população portuguesa diplomada"

Este relatório foi elaborado pelo Observatório da Emigração, pertencente ao ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, composto por Rui Pena Pires, Cláudia Pereira, Joana Azevedo, Inês Espírito Santo e Inês Vidigal. #Desemprego