A taxa turística de Lisboa entrou em vigor esta quarta-feira, 1 de abril. A ANA Aeroportos acordou com a autarquia da capital que durante todo o ano de 2015 vai suportar os custos da taxa, ou seja, vai pagar à Câmara Municipal de Lisboa entre 3,6 e 4,4 milhões de euros. A taxa turística de Lisboa prevê cobrar 1 euro por cada turista que desembarque em Lisboa quer por via aérea quer por via marítima. A medida foi aprovada a 11 de dezembro de 2014 e está a gerar polémica.

O acordo entre a ANA e a Câmara de Lisboa foi celebrado na passada segunda-feira, dia 30 de março. Segundo o que foi comunicado, a empresa que gere os aeroportos portugueses fica encarregue de pagar à autarquia de Lisboa os valores relativos a este ano. Fernando Medina, vice-presidente da CM de Lisboa explicou que as taxas aeroportuárias para 2015 já estavam fixadas e que por isso, esta nova taxa turística não fazia parte das contas para 2015.

Certo é que a decisão da ANA está a gerar polémica e as cidades do Porto, Maia, Matosinhos, Vila do Conde e Faro vieram a público exigir o mesmo tratamento. Gostariam que a ANA também pagasse às autarquias um valor por cada turista estrangeiro que chegue a estas localidades. No caso da autarquia do Porto, Rui Moreira já pediu uma reunião com o presidente da ANA no sentido de obter um acordo semelhante ao celebrado com Lisboa.

A ANA justifica o acordo alcançado com a autarquia da capital, através de um comunicado publicado no site da empresa, onde refere que pretende "contribuir para o desenvolvimento da atividade turística no Município de Lisboa", uma vez que, este ano, o aeroporto da capital ficou de fora do novo Plano de Incentivos de Promoção do Tráfego Aéreo e da Atividade Turística que, vai abranger os restantes aeroportos geridos pela empresa.

No mesmo documento a ANA revela que o valor que pago à autarquia vai servir para a reabilitação de vários espaços de atração turística ma cidade como o Cais do Sodré e o Campo das Cebolas. Vai também permitir "a criação de acessibilidades assistidas à Colina do Castelo" e ainda financiar um museu "dedicado às Descobertas". #Turismo