Os projectos de arquitectura do restauro do Chalé das Três Esquinas (Braga), da Casa Taíde (Póvoa do Lanhoso), da Casa Sambade (Penafiel) da Escola Superior de Desporto e Lazer de Melgaço, e do Parque Tecnológico de Óbidos, estão entre os melhores do mundo. Aqueles trabalhos foram distinguidos pela plataforma norte-americana Architizer A+, nas áreas da reabilitação, residencial, instalações de educação e espaços comerciais. Os candidatos foram premiados por um júri especializado e pela votação popular.

Na categoria residencial, para moradias de média dimensão (cerca de 300 a 900 metros quadrados), o prémio Architizer A+ distinguiu o projecto da Casa Taíde, em Póvoa de Lanhoso, executado pelos arquitectos Rui Vieira Oliveira e Vasco Manuel Fernandes.

Publicidade
Publicidade

Um projecto único que conquistou as duas distinções (júri e votação popular), que visou a reabilitação de uma antiga casa de campo, com as características típicas da arquitectura popular.

Na mesma categoria, mas na classe de moradias de grande dimensão, superiores a 900 metros quadrados, foi premiada (votação popular) a Casa Sambade, em Penafiel, Um projecto desenhado por Henrique Marques, Rui Dinis e Sérgio Rocha.

O atelier de arquitectura Tiago de Vale, em Braga, conquistou o prémio reabilitação, através da votação popular, com o Chalé das Três Esquinas. Um edifício peculiar que combina a arquitectura portuguesa do século XIX e do design típico urbano. Um projecto que já tinha sido premiado, no ano passado, num outro concurso internacional promovido pela ArchDaily.

Já na subcategoria de instalações educativas, o júri premiou o projecto do arquitecto Pedro Reis com a Escola Superior de Desporto e Lazer, de Melgaço.

Publicidade

Por sua vez, o projecto de arquitectura do Parque Tecnológico de Óbidos, de autoria de Jorge Mealha, foi distinguido na categoria de espaços comerciais uso misto, através da votação popular. Um projecto planeado com o objectivo de promover a investigação académica com o desenvolvimento de negócios, especialmente na área das indústrias criativas.

A concurso daquela terceira edição dos prémios Architizer A+ estiveram 250 finalistas, dos quais seis portugueses (não foi premiado o projecto do gabinete A.Burmester Arquitectos Associados, relativo à Adega Vinícola Gran Cruz Porto, em Alijó), distribuídos por oito categorias, e por sua vez subdivididas em várias subcategorias abrangendo 90 áreas.

A entrega dos prémios acontecerá numa cerimónia agendada para o dia 14 de Maio em Nova Iorque, e os trabalhos distinguidos serão reunidos num livro que será publicado pela Phaidon, uma editora britânica de artes e design. #Inovação