Segundo dados da Guarda Nacional Republicana (GNR), entre Janeiro e Março, aumentaram o número de lobos abatidos no distrito de Viana do Castelo. Números já superiores aos registados em todo ano de 2014. No ano anterior tinham sido abatidos dois lobos neste distrito minhoto: um com recurso a uma arma de fogo; outro com uma armadilha com laço. Em 2013 foram duas situações com tiro. Até à data, 2015 contabiliza um caso por envenenamento e dois por armadilhas. A continuar assim, será um ano negro para esta espécie autóctone da Península Ibérica, em risco de extinção.

Todas as situações descritas anteriormente foram comunicadas ao Ministério Público.

Publicidade
Publicidade

A GNR confirma ainda que as investigações levadas a cabo para identificar os autores destes crimes ainda não tiveram até à data quaisquer resultados. Para combater esta problemática têm sido desenvolvidas, ao longo dos últimos anos, várias acções de sensibilização nesta região do Minho. Dados disponibilizados no relatório do Sistema de Monitorização de Lobos Mortos confirmam que, entre 1999 e 2008, 64 lobos foram mortos, sendo que 21 foram em consequência de atropelamento. Entre as principais causas encontram-se, ainda, o tiro e os laços.

Caça ao Lobo Ibérico não faz parte dos planos do Governo

Miguel de Castro Neto, secretário de Estado da Conservação da #Natureza, afirmou recentemente que a caça ao lobo nunca foi uma hipótese do actual Governo, defendendo antes uma harmonização do lobo ibérico com as actividades económicas.

Publicidade

Acrescentando que a caça só se justifica quando existe excesso de população, não sendo o caso, uma vez que se trata de um animal em vias de extinção na Península Ibérica. Sem estar insensível com as populações, adianta ainda que estão a ser trabalhadas medidas para garantir, por um lado a preservação do lobo no país, e por outro a presença humana, bem como a actividade económica. O plano passa por fazer um levamento da situação actual deste animal em Portugal. Um dos objectivos é garantir a conservação das presas naturais para que o número de ataques a #Animais domésticos diminua. #Ambiente