Esta quarta-feira, 8 de Abril, em Linda-a-Velha, em Oeiras, um bebé foi morto à facada pelo próprio pai. Tudo terá acontecido depois do homem discutir ao telefone com a sua companheira. Segundo uma fonte, a companheira terá dito que não quereria mais partilhar a casa com ele pedindo então que saísse. Nesse momento, o homem ameaçou que mataria o filho. A mãe do bebé terá ligado imediatamente para a PSP, que mandou reforços para o local não chegando a tempo de impedir este homicídio.

O comandante dos Bombeiros Voluntários do Dafundo, Carlos Jaime, refere que quando chegaram ao local o "bebé estava com uma faca de cozinha espetada lateralmente no peito, deitado na cama", e que "foram feitas manobras de reanimação durante alguns minutos, mas já não havia nada a fazer.

Publicidade
Publicidade

"Pedimos ao INEM para enviar uma viatura médica de emergência e reanimação e a médica declarou o óbito". O INEM foi chamado por volta das 16h42.

O homem voltou a telefonar à companheira depois do #Crime dizendo-lhe que já teria matado o bebé. Seguiu normalmente para um café perto do local e nada parecia indicar o sucedido até o próprio pagar a conta e o empregado ter reparado na mão ensanguentada do homem, que pedia ao mesmo tempo o telefone para fazer uma chamada que acabou por não efectuar.

O homicida foi detido pela PSP próximo da casa, acabando por confessar o crime. Encontra-se neste momento detido na esquadra de Carnaxide. A mãe da criança seguiu para a esquadra de Miraflores onde irá receber apoio psicológico através da unidade móvel de intervenção psicológica de emergência do INEM.

Publicidade

De acordo com a fonte policial, o casal já teria estado separado devido à ocorrência de episódios de violência doméstica, tendo reatado a relação há pouco tempo. Este homem tinha ainda historial de problemas de álcool e drogas.

O comandante dos bombeiros presentes no local teve de dispensar os bombeiros que assistiram esta emergência, pois os mesmos ficaram bastante perturbados com o que viram devido a ambos terem filhos menores. No local, encontram-se inspectores da Polícia Judiciária a realizar perícias de modo a obterem mais informações sobre o sucedido.