A manhã desde 8 de Abril foi de angústia e de medo vivido numa habitação, no centro do Furadouro, em Ovar. Três pessoas foram feitas reféns na própria casa. Segundo testemunhas no local, um Audi preto terá arrancado a toda a velocidade com duas pessoas lá dentro. Mais tarde presumiu-se que esses poderiam ser os assaltantes.

Tudo aconteceu por volta das 9h30, tendo um casal de idosos e uma empregada ficado três horas retidos dentro da casa de banho da própria casa. Os gritos vindos de dentro da habitação com um pedido de auxílio chamaram a atenção da vizinhança e de uma das filhas do casal que estranhou o facto de a mãe não ter aberto a peixaria.

Publicidade
Publicidade

Ao chegar a casa dos pais ouviu os gritos e chamou a polícia.

As ruas foram cortadas e toda a gente foi impedida de chegar perto da habitação. Acreditava-se que os assaltantes ainda estivessem lá dentro e por isso foram aplicadas normas de segurança por parte da polícia de intervenção. A casa foi cercada e tentou-se negociar com os assaltantes mas nenhum resposta vinha do interior a não ser o pedido de ajuda. Com o passar das horas a polícia resolveu entrar e por volta das 12h30 resgatou os três reféns, que foram levados para serem assistidos por uma equipa do INEM, também presente no local.

A mulher, com cerca de 70 anos, saiu auxiliada pela empregada e aparentava estar em estado de choque. O homem, com a mesma idade, foi o último a abandonar a casa, também ele auxiliado por outro homem.

Publicidade

Todos os compartimentos da casa foram revistados e chegou-se à conclusão que não havia mais ninguém lá dentro. Mais tarde, testemunhas presentes no local falaram de um carro, estacionado em frente à casa e que arrancou a toda a velocidade com duas pessoas lá dentro.

A PSP não confirma a possibilidade de nesse carro seguirem os dois assaltantes, nem esclareceu como conseguiram fugir da habitação. O relato das três vítimas será fundamental para esclarecer como terão eles entrado e o que roubaram da habitação. O caso foi entregue à Polícia Judiciária, que está neste momento a recolher pistas que possam levar à captura dos suspeitos. #Crime