A questão é polémica e continua a ter duas perspectivas possíveis. Falamos da homossexualidade. Há alguns elementos da classe médica que defendem que a homossexualidade é uma patologia de que as pessoas padecem, e, por isso, como todas as doenças, está sujeita a um tratamento e uma cura. Um dos principais psicoterapeutas norte-americanos que defende essa tese, veio, esta quarta-feira, ao Hotel Sana Malhoa, em Lisboa, dar uma palestra. Richard Cohen, especialista em terapias de orientação sexual, veio à capital portuguesa falar e oferecer a sua ajuda para aqueles "que queiram deixar de ser homossexuais", apresentando as suas teorias de reconversão sexual.

Publicidade
Publicidade

O livro da polémica

O especialista foi um dos oradores da conferência pública "Compreender a homossexualidade". O posicionamento do terapeuta no que respeita a esta matéria é publicamente conhecido e, por isso, lançou um livro intitulado "Compreender e curar a homossexualidade". Ele explica em entrevista a uma televisão espanhola que se tornou psicoterapeuta, há 28 anos atrás, "para ajudar homens e mulheres que, como eu, tinham atracções homossexuais indesejadas", objectivo que afirma ter cumprido. Ao longo da sua carreira como especialista de reconversão sexual, Cohen diz que ajudou milhares de homens e mulheres "a mudar de homossexual para heterossexual". Gosta, contudo, de deixar bem claro que respeita quem quer continuar a sentir-se atraído por pessoas do mesmo sexo.

Publicidade

Afirma que é por respeito à auto-determinação de cada um que decidiu escrever este livro, que ajuda aqueles que "não querem ser homossexuais", incluindo o próprio terapeuta, já que afirma ter sido homossexual durante 3 anos, orientação que foi alterada por vontade própria, segundo Cohen.

Diz que quando era criança houve um amigo dos seus pais que foi morar para a sua casa e que se tornou particularmente próximo de Cohen e que acabou por lhe conquistar a confiança. Ao contrário do seu pai, este amigo soube como se aproximar dele, brincando, jogando, dando-lhe atenção, e, eventualmente, abusando sexualmente dele, explicou à televisão espanhola. Diz que este episódio foi o que o fez "desenvolver atracções homossexuais". Contudo, quando trabalhou cada um destes traumas, e os conseguiu ultrapassar, "foi quando os meus desejos homossexuais me deixaram", relembra. #LGBT