Depois da primeira parte, publicamos a segunda parte da entrevista de José Pires Lima, responsável do grupo Facebook "Caminho do Norte rumo a Fátima." 

É possível fazer o caminho do Norte com carrinhas de apoio a grupos de peregrinos, como se vê habitualmente no IC2?

Este caminho percorre estradas secundárias, municipais e caminhos florestais, mas não anda longe das localidades. Nunca olhei para ele, nessa perspectiva, mas posso dizer que sim, em locais previamente marcados, é possível ter as carrinhas de apoio, com a vantagem de terem todo o espaço para eles.

O caminho do Norte é mais seguro e mais tranquilo que o IC2. Porque será que as pessoas não o procuram mais?

Sem margem para dúvidas que é muito mais seguro que o IC2. Não há sequer comparação. Penso muitas vezes, porque razão os peregrinos insistem em fazer o IC2, tendo já esta alternativa… A questão cultural é evidente. A grande maioria dos peregrinos são pessoas humildes vindas de aldeias e não estão receptivos a alterações.
Outras questão são os quilómetros por etapa … há peregrinos a fazerem mais de 60 kms por dia, impensável neste tipo de terreno. Depois caminham de noite para evitarem o trânsito; no Caminho do Norte, ou noutro qualquer, é conveniente ser logo ao nascer do dia.

Para terminar, quer deixar alguma sugestão aos peregrinos que vão do Norte para Fátima pelo IC2?

Logo à saída de V. N. Gaia e após Rechousa até aos Carvalhos o percurso é extremamente perigoso, tendo apenas alguns centímetros de faixa lateral para caminhar. Ora, o Caminho do Norte chega a Rechousa e deriva logo para a direita, e o percurso é feito através da bonita Serra de Canelas. Este é um dos exemplos… Albergaria a Velha,  Águeda, a Mealhada e todo o percurso de Coimbra até Fátima é de uma beleza ímpar, feito por caminhos florestais, sem trânsito de veículos, muito tranquilo, sempre em contacto com as pessoas das aldeias por onde vamos passando e, claro está, eventualmente podemos ser atropelados por um rebanho de gado caprino, que se atravessa no nosso caminho.

Quantos mais peregrinos optarem por este novo caminho, haverá certamente mais investidores locais que criarão infra-estruturas hoteleiras para os peregrinos. Em conversa com empresários da restauração, em Ansião e Alvaiázere, mostraram muito optimismo na passagem de peregrinos para Fátima. A todos os peregrinos que se dirijam a Fátima e em grupos pequenos, porque não tentarem fazer este Caminho? Existe já muita informação na Internet é tudo uma questão de se munirem dessa informação. #Religião