Começa amanhã e dura até 30 Junho aquela que é a primeira fase do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios a integrar meios em permanência nos Corpos de Bombeiros. Assim, nos meses de Maio e Junho estarão disponíveis 1250 equipas, compostas por 5246 operacionais e apoiadas por 1200 viaturas. O dispositivo aéreo será composto por trinta e quatro aeronaves, treze delas serão helicópteros ligeiros, oito médios e cinco pesados. Estarão também ainda ao dispor oito aviões anfíbios.

O ano de 2014 foi atípico em termos de combate aos incêndios florestais, principalmente porque se registaram zero baixas nos operacionais. O número de ignições foi também o mais baixo desde que há registos.

Publicidade
Publicidade

Depois de um ano 2013 que levou a vida a oito bombeiros, um presidente de junta e deixou feridos dezenas de pessoas com 19.291 ocorrências, das quais 20% correspondem a incêndios florestais e 80% a fogachos, a área ardida foi de cerca de 152.758 hectares, dos quais 36% em povoamentos florestais e 64% em matos, incluindo pastagens espontâneas.

Em 2014 a base de dados nacional de incêndios florestais regista, no período compreendido entre 1 de Janeiro e 15 de Outubro de 2014, um total de 7085 ocorrências, 1062 incêndios florestais e 6023 fogachos, que originaram 19.696 hectares de área ardida, entre 8.722 hectares de povoamentos e de 10.974 de matos (Dados do ICNF).

Especialista diz que faltam bombeiros florestais e há muitos meios aéreos

Em declarações à agência Lusa, o especialista em incêndios florestais, Paulo Tavares, considerou que há "um desequilíbrio no investimento ao combate (…) o nosso dispositivo, para a dimensão do país, talvez se possa considerar sobredimensionado".

Publicidade

Paulo Tavares disse ainda que "os meios aéreos têm uma relação custo/benefício muito alta" e "aquilo que fazem não compensa de modo nenhum os custos que têm". "Com poucos meios de combate podemos fazer bastante melhor, é preciso ter uma visão técnica sob o #Incêndio, saber ler o incêndio, aplicar conhecimento técnico mais avançado, que em Portugal é extremamente escasso", sustentou.