Filipe Silva, subcomissário da PSP de Guimarães, guardará sempre a data de 17 de Maio 2015, dia em que deixou de ser meramente um desconhecido. Após a divulgação do vídeo em que o subcomissário agride pai e avô perante o olhar aterrorizado de duas crianças, rapidamente Filipe Silva viu o seu acto exposto em praça pública, criando controvérsia e indignação aos olhos de um país. A notícia, devido à sua #Violência, ganhou notoriedade além fronteiras. O jornal italiano "Gazzetta Dello Sport" considerou o acto como "incrível episódio de violência gratuita", enquanto o jornal espanhol "Mundo Deportivo" o descreve como "uma agressão brutal".

Enquanto este episódio acontecia no exterior do estádio, no seu interior decorria um saque ao armazém do Vitória.

Publicidade
Publicidade

Bolas, chuteiras, troleys e gabardines, entre outros artigos, foram levados por adeptos. Ainda se encontra por apurar como é que esses artigos passaram pelas portas do estádio sem que ninguém se apercebesse. Ironicamente, o responsável pela segurança da bancada norte do Estádio D. Afonso Henriques, conforme o plano de segurança prévio do jogo, era o subcomissário.

Continuando a exercer funções, Filipe Silva continua a liderar a Esquadra de Investigação Criminal, responsável por investigar o saque ao armazém de material desportivo do Vitória de Guimarães.

Com um currículo imaculado, apesar das queixas de excesso de zelo e sendo descrito como tendo uma postura rigorosa, exigente e autoritária, Filipe Silva enfrenta agora uma acusação disciplinar, uma acusação por parte do IGAI e um inquérito crime por parte do Ministério Público.

Publicidade

Filipe Silva, oriundo de uma família humilde, é tido pelos amigos como uma pessoa afável, pacifica, pacata, simples mas intransigente profissionalmente. Quem o conhece afirma que é apaixonado pela família, pela profissão e pelos seus dois cães.

À parte do mediatismo, gravidade e consequência da situação, a rotina do subcomissário e da sua família regressou ao normal. Continua a exercer funções na esquadra da PSP de Guimarães, onde se manterá até decisão em contrário. #Polícia