Um homem de Matosinhos viajou até ao Algarve para surpreender a ex-companheira no local de trabalho, um café na cidade de Faro, e de caçadeira em punho fez vários disparos à queima-roupa. A vítima ainda foi socorrida e transportada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos, tendo acabado por morrer. O #Crime aconteceu na passada quinta-feira à tarde, 28 de Maio, e terá como causa um alegado processo de divórcio por parte da mulher. A vítima, com 31 anos, era natural do Faial (Açores) e há dois anos que andava a fugir do ex-companheiro que a andava a ameaçar. O agressor, de 38 anos, foi detido poucos minutos após o crime e deverá ser presente amanhã ao juiz de instrução criminal.

Tudo aconteceu durante a hora do almoço e no momento em que estavam entre 15 a 20 clientes no café onde trabalhava, há pouco tempo, a mulher. Um estabelecimento comercial situado numa zona central da cidade de Faro, próximo dos serviços da Segurança Social e a poucos metros da Esquadra da Polícia de Segurança Pública. O homem, que estaria separado da mulher desde há algum tempo, entrou no estabelecimento, bebeu um café e voltou a sair, tendo regressado pouco tempo depois munido de uma arma caçadeira.

Contam algumas testemunhas que o indivíduo disparou contra a mulher atingindo-a, pelo menos, num braço e numa perna, mesmo depois desta estar caída no chão. Antes ter-lhe-á gritado: "queres o divórcio, queres?". A vítima foi socorrida e transportada para o Hospital de Faro, onde viria a morrer durante a tarde.

O agressor acabaria por ser detido pela PSP no momento em que estava a abandonar o café e a carregar a arma com novas munições. Os agentes policiais, que foram alertados por testemunhas para o sucedido, tiveram de usar alguma força para deter o presumível assassino face à resistência deste. As autoridades suspeitam que o homem tenha viajado de Matosinhos, onde residia, até àquela cidade algarvia para reagir, de forma violenta, ao processo de divórcio em curso.

Tendo ocorrido numa hora de maior movimento, os factos foram testemunhados por várias pessoas que se encontravam no interior do café. Entretanto, a PSP entregou o presumível homicida à Polícia Judiciária, autoridade que desenvolveu as respectivas investigações. #Violência