Susana, a mãe do jovem que confessou à Polícia Judiciária (PJ) ter assassinado Filipe Costa, está de rastos. No Facebook escreveu uma longa publicação, na qual manifesta repúdio pelo acto cometido por Daniel. Esta mãe quer que o seu filho seja punido e sofra as consequências do #Crime que cometeu. Diz ainda, na sua mensagem, que Daniel não vai poder contar com o seu apoio e chega mesmo a dizer que preferia que o filho estivesse no lugar de Filipe. Esta declaração mostra a dor e desespero de uma mãe que teve de encarar uma verdade difícil de aceitar: descobrir que tem um filho assassino.

Susana não consegue admitir a possibilidade de apoiar o filho, pois considera que os pais não devem pagar pelos erros dos filhos e assume, aliás, uma posição radical em relação ao crime cometido: afirma que o filho devia ser entregue aos populares, para fazerem justiça pelas próprias mãos.

Publicidade
Publicidade

Filipe Matos, o jovem assassinado, estava desaparecido desde o passado dia 11. O jovem saíra para ir com amigos à Feira de Magos e não regressou a casa. A mãe do jovem participou o desaparecimento à polícia nesse dia de madrugada, e, mais tarde, as investigações e buscas da PJ levaram à descoberta do corpo do jovem na arrecadação de um prédio em Salvaterra de Magos.

Após ter sido detido e interrogado durante várias horas, Daniel Neves confessou ter morto Filipe com uma barra de ferro. O motivo de crime terá sido uma futilidade. Aparentemente, o agressor queria as roupas e acessórios da vítima. O alegado assassino já estava referenciado pela polícia por furtos e posse de droga. Nos dias a seguir ao crime, chegou a fazer um apelo no Facebook para que se procurasse e encontrasse Filipe.

Publicidade

Apesar de Daniel ter assumido a autoria do crime durante o interrogatório feito pela PJ, a sua confissão não terá validade em tribunal, pois na passada sexta-feira, dia 15, o jovem remeteu-se ao silêncio perante o juiz de instrução. No entanto, o juiz considerou que há fortes indícios que apontam para que Daniel tenha cometido o crime e, por isso, decretou a sua prisão preventiva.