Aproximadamente um mês depois de ter recebido rasgados elogios por parte da prestigiada Bloomberg, a jovem deputada do Bloco de Esquerda (BE), #Mariana Mortágua, tem novamente motivos para sorrir. A bloquista de 28 anos recebeu o prémio "Revelação" dos Prémios Novos, que celebrou este ano a sua terceira edição. O certame, que premeia os jovens valores da sociedade portuguesa que tenham até 35 anos, é organizado pela produtora Cego, Surdo e Mudo. Os 15 vencedores das respectivas categorias foram conhecidos na passada quinta-feira, dia 7.

De acordo com a produtora, nunca antes o prémio "Revelação" havia sido atribuído, pelo que Mariana Mortágua é a primeira pessoa galardoada com tal distinção. Natural do Alvito, vila localizada no Baixo Alentejo, a deputada do BE saltou para as luzes da ribalta devido ao trabalho desenvolvido na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BES/GES. Recorde-se que, na altura em que decorriam os trabalhos, Ricardo Salgado, ex-presidente do BES, foi das primeiras pessoas a tecer elogios ao trabalho de Mariana Mortágua.

Licenciada e mestre em Economia pelo ISCTE, e actualmente a doutorar-se também em Economia, na School of Oriental and African Studies, em Londres, Mariana Mortágua é filha de Camilo Mortágua, activista político que fez parte do assalto ao paquete Santa Maria na década de 60, e tem uma irmã gémea, Joana Mortágua, que também milita no BE.

Nas restantes categorias, os vencedores são Paulo Moreira (Arquitectura), Surf Stoke (Internet), Bruno Pernadas (Música), Pedro Vieira (Ciência), Miguel Manso (Literatura), Musa Paradisíaca (Artes Plásticas), João Pedro Plácido (Cinema), Nélson Évora (Desporto), Vasco Vicente (Criatividade), Pedro Lopes (Inovação), Nair Xavier (Moda), Ricardo Neves-Neves (Teatro), Leonardo Pereira (Gastronomia) e Pedro Santo e João Moreira (Televisão), em ex-aequo.

A ideia de criar a Cego, Surdo e Mudo partiu do humorista Fernando Alvim, no final de 2010, e tem actividade em áreas como a televisão ou edição de livros. Os galardões começaram a ser distribuídos em 2013, com o intuito de dar a conhecer o trabalho desenvolvido por portugueses empreendedores e mostrar à sociedade aquilo do que são capazes, "antes que decidam emigrar", sublinhava Fernando Alvim, em declarações à Agência Lusa. #Personalidades