A deputada do Bloco de Esquerda Mariana Mortágua continua na ribalta. Depois de há cerca de um mês ter sido considerada "estrela" pela agência noticiosa financeira Bloomberg, foi ontem, 7 de Maio, distinguida com o Prémio Revelação na 3.ª edição dos Prémios Novos. Um galardão atribuído pela primeira vez pela produtora "Cego, Surdo e Mudo", que instituiu os Prémios Novos que distinguem os "valores emergentes da sociedade portuguesa até aos 35 anos". Com 28 anos de idade, a economista Mariana Mortágua destacou-se, essencialmente, devido ao seu trabalho na comissão parlamentar de inquérito ao Banco Espírito Santo (BES).

Licenciada e mestre em Economia, Mariana Mortágua é irmã gémea da também dirigente do Bloco de Esquerda Joana Mortágua.

Publicidade
Publicidade

É filha de Camilo Mortágua, um conhecido revolucionário antifascista. Actualmente, Mariana frequenta o doutoramento na School of Oriental and African Studies da Universidade de Londres. Sentou-se no grupo parlamentar do Bloco pela primeira vez em 2012, quando tinha apenas 27 anos, em substituição de Francisco Louçã. Tem sido criticada por alguns militantes do Bloco de Esquerda que contestam a sua progressão dentro da força partidária.

Mas tem exercido o seu mandato como deputada com alguma notabilidade. É coordenadora do grupo parlamentar nas comissões de Economia e Obras Públicas, e a de Inquérito à Tragédia de Camarate. É suplente na comissão de Orçamento, Finanças e Administração Pública e vice-presidente na comissão de Inquérito à Gestão do BES e do Grupo Espírito Santo.

Publicidade

Onde aliás se destacou e saltou para a ribalta. Integra, ainda, vários grupos de trabalho relacionados com turismo, segurança rodoviária, sector automóvel e sector da construção.

A Bloomberg não teve dúvidas em a considerar uma "estrela" e destacou o facto de a jovem deputada ter feito uma "perseguição obstinada aos responsáveis pelo maior colapso corporativo no país". Ou seja, no inquérito ao caso BES onde Mariana Mortágua revelou uma capacidade de questionar "incisiva e directa" #Personalidades referenciadas como "os mais ricos e os mais poderosos", como Ricardo Salgado ou Zeinal Brava.

Agora, a jovem economista que frequentemente circula nos corredores do Palácio de S. Bento de vestuário escuro e de ténis Converse All-Star, encontra-se entre os vencedores dos Prémios Novos. Ao lado de Paulo Moreira (Arquitectura), Musa Paradisíaca (Artes Plásticas), Bruno Pernadas (Música), João Pedro Plácido (Cinema), Miguel Manso (Literatura), Pedro Vieira (Ciência), Vasco Vicente (Criatividade), Nelson Évora (Desporto), Pedro Lopes (Inovação), Leonardo Pereira (Gastronomia), Nair Xavier (Moda), Ricardo Neves-Neves (Teatro), João Moreira e Pedro Santo (Televisão) e Surf Stoke (Internet).