Morreu ao princípio da tarde deste sábado, 16 de Maio, no hospital do Funchal, a menina de 8 anos que ontem, sexta-feira, ficou ferida com gravidade após uma queda de 8 metros. A criança estava a brincar num insuflável quando este foi levado pelo forte vento que se fazia sentir. O acidente ocorreu na freguesia do Caniço, concelho de Santa Cruz, na Ilha da Madeira. Entretanto, continua internada no Hospital Pediátrico de Coimbra, em estado crítico, a criança de 10 anos que simulou um enforcamento para assustar o irmão, de 12 anos. O caso aconteceu numa freguesia de Águeda e deixou em choque a população local.

Foi ao princípio da tarde de sexta-feira que a menina de 8 anos estava a brincar no interior de um divertimento infantil insuflável, que estava instalado no parque de estacionamento de um restaurante, na freguesia do Caniço, na Madeira. Devido à elevada intensidade do vento que se fazia sentir no local, o insuflável desprendeu, tendo levantado voo e fazendo com que a criança tivesse caído de uma altura de cerca de oito metros.

Segundo informações prestadas pela Equipa Médica de Intervenção Rápida, a petiz terá sofrido vários traumatismos e ficado inconsciente, tendo sido internada na unidade de cuidados intensivos pediátricos do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal. O seu estado de saúde era muito grave e com prognóstico reservado. Contudo, não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer pouco depois das 14 horas de hoje, sábado. "A situação agravou-se progressivamente, acabando por falecer", esclareceu o director clínico do hospital, João Manuel Rodrigues. #Casos Médicos

Simulação de enforcamento trágico

Por outro lado, também na tarde de ontem, sexta-feira, uma criança de 10 anos ficou gravemente ferida numa brincadeira onde simulou um enforcamento. O caso aconteceu numa freguesia do concelho de Águeda, na região centro do país, cuja população ficou em estado de choque com o sucedido. A rapariga quis assustar o seu irmão, de 12 anos, tendo subido para cima de uma mesa e colocando uma corda, presa num estendal, ao pescoço. Porém, a mesa partiu-se e fez com que a menina ficasse breves minutos sem respirar, sofrendo ferimentos graves ao nível da traqueia. Encontra-se em estado considerado grave no Hospital Pediátrico de Coimbra.