"Até agora apenas foi encontrado o material deste", referiu fonte dos Bombeiros Voluntários de Salto, que a meio desta tarde de domingo ainda não tinha qualquer pista do corpo de um homem de 30 anos que estaria a praticar canyoning no Rio Cabril. CDOS de Vila Real diz que o homem está desaparecido há mais de 24 horas, num curso de água que que nasce na zona do Salto do Lobo, no concelho de Montalegre, no interior do Parque Nacional da Peneda Gerês. O rio situa-se em zona de vale profundo, e, por esta altura do ano, atinge um caudal "violento e forte".

O alerta foi dado por um amigo, desconhecendo-se se este estaria junto do homem, que avisou os Bombeiros Voluntários de Salto.

Publicidade
Publicidade

Desde a tarde de sábado até hoje, domingo, os esforços de mais de 30 elementos de socorro não deram resultado. "Não foi possível ainda encontrá-lo", indicou Hêrnani Carvalho, comandante dos Bombeiros Voluntários de Salto, que está a comandar o teatro de operações.

A zona é de acesso complicado, pois, para além do violento caudal do Rio Cabril, os meios de socorro tiveram que fazer um percurso de montanha de "pé posto". O que demorou "mais de uma hora a chegar à zona onde o praticante de canyoning terá caído", frisou o comandante. Para além dos Bombeiros Voluntários de Salto, estão no terreno a equipa de militares da GNR, Bombeiros Voluntários de Montalegre e uma equipa da Salvação Pública dos Bombeiros de Chaves.

Apesar das causas do acidente não terem sido ainda apuradas, tudo aponta para que o jovem tenha desaparecido num poço formado pelo Rio Cabril, numa zona de penhascos e conhecida como "Poço do Mouro".

Publicidade

Apenas o material utlizado para praticar canyoning, tal como sistemas de cordas e mosquetões, foram encontrados pelos meios de socorro que estão no terreno. Segundo David Teixeira, vice-presidente da Câmara de Montalegre, concelho onde está desaparecido o praticante de canyoning, a zona "é muito frequentada para a prática deste desporto".

A prática de canyoning consiste na descida de caudais de rios, explorando os limites destes e dos praticantes, com recurso apenas a material de rappel para transpor obstáculos em altura e anfíbios. #Natureza #Desportos Radicais