O #Benfica conquistou, este domingo, 17 de Maio, o título de campeão nacional de futebol da temporada 2014/15, mas aquilo que deveria ter sido uma festa entre a nação benfiquista foi, na verdade, uma verdadeira batalha campal. Primeiro em Guimarães, onde os "encarnados" confirmaram o bicampeonato fruto do empate do Porto ante o Belenenses, depois no Marquês de Pombal, o que levou ao término da festa por volta da 1h15. Na sua página de Facebook, o deputado do CDS-PP Ribeiro e Castro insurgiu-se contra a violência entre as forças de segurança e adeptos do Benfica e pede explicação à PSP. É o 34.º título de campeão nacional do Benfica, o primeiro bicampeonato em mais de 30 anos.

Publicidade
Publicidade

"Estupidez de violência policial". É desta forma que Ribeiro e Castro classifica a actuação das forças policiais em Guimarães. Sem branquear o comportamento de alguns adeptos "encarnados", que considera "altamente condenável", o deputado centrista sublinha que a "PSP tem de explicar e o Governo deve esclarecer" e averiguar esta "estupidez de violência policial".

Minutos antes do início do embate entre vitorianos e benfiquistas, algumas dezenas de adeptos afectos ao clube da Luz envolveram-se em confrontos com apoiantes vitorianos. O ex-líder do CDS questiona a actuação da polícia, em pleno século XXI e estando na União Europeia, que lhe parece "desproporcionada". "Como vi em directo pela televisão, a carga brutal e desordenada, na rua, sobre adeptos, antes do pontapé de saída no estádio do Vitória, parece desproporcionada", escreveu.

Publicidade

Horas mais tarde, mais a sul, e numa altura em que presidente, dirigentes, jogadores, treinador e restante equipa técnica já festejam com os milhares de adeptos benfiquistas no palco montado para a festa na praça do Marquês de Pombal, eis que surge o inesperado. Pedras, garrafas de vidro, petardos, tudo voou pela noite que até então estava a ser regada com alegria e euforia. Alguns adeptos identificados com as cores e adereços do clube entraram em confrontos com as forças de segurança. O caldo estava entornado e a festa terminada.

Ribeiro e Castro frisa que o "comportamento dos selvagens" que estragaram a festa do Benfica "não tem desculpa", mas a PSP deve prestar esclarecimentos "objectivos e pontuais". O deputado do CDS afirma que "a forma como as forças da PSP actuaram suscita várias interrogações. Pode ver-se que, durante longos minutos, agiram com violência sobre adeptos pacatos" que eram intérpretes de um filme para o qual não foram convidados, ao mesmo tempo que procuravam fugir e abrigar-se dos "energúmenos" responsáveis pelo arremesso de objectos e pelos distúrbios causados. O antigo líder dos centristas considera que, perante tal situação, tanto a direcção da PSP como o Governo têm de "falar" e "agir".