O trágico acidente com os peregrinos de Fátima vindos de Mortágua, falecidos na sequência de um despiste de um automóvel no IC2, em Condeixa, volta a levantar a questão da segurança das peregrinações. Anualmente, milhares de pessoas expõem-se aos riscos de caminhar ao longo de uma das estradas mais movimentadas do país. Contudo, existe uma alternativa (para quem vem do Norte e do Centro) quase desconhecida do público e nunca referidasna comunicação social: o caminho do Norte. A Blasting News chegou à fala com José Augusto Pires Lima, caminhante e responsável do grupo do Facbook "Caminho do Norte - Fátima".

Como surgiu a ideia de um grupo no Facebook sobre o caminho do Norte?

Enquanto caminheiro gosto de fazer caminhos tranquilos e sem atropelos. Desde 2012 que decidi fazer uma peregrinação na companhia da minha esposa Helena. Assim, em Outubro de 2012, fizemos o Caminho Português Interior de Santiago, de Farminhão (Viseu) a Santiago. Em Outubro de 2013, fiz o Caminho do Norte rumo a Fátima, em 2014 a 1ª fase do Camiño Torres, desde Salamanca até à Régua, percorrendo a Beira Alta e este ano, se Deus quiser, faremos Régua a Santiago de Compostela. 
Foi este o nome, Caminho do Norte rumo a Fátima, que escolhi para criar um grupo no Facebook para divulgar este caminho. Antes desta peregrinação, e após algumas tentativas (porque sabia que tinham feito a marcação e gravado o percurso em GPS), consegui que o Centro Nacional de Cultura me disponibilizasse o track. Não sabia se o percurso estaria bem marcado e sendo assim o percurso em GPS era importante, como acabaria por ser.


Muita gente não sabe. O caminho do Norte está funcional? É possível ir do Porto até Fátima evitando o IC2?

Antes de mais gostaria de realçar o trabalho de instituições e pessoas que têm trabalhado no sentido de marcar devidamente o Caminho. A Associação dos Amigos do Caminho de Fátima (nas pessoas de Rodrigo Cerqueira e Pedro Miguel Nogueira Diogo), Via Lusitana, Centro Nacional de Cultura e ainda algumas Associações que se esforçam no sentido de criar outros caminhos, com origem em diversas localidades.
Neste momento estou a fazer, novamente o Caminho do Norte por etapas e uma vez por mês caminhamos e fazemos duas etapas. Depois de Coimbra o Caminho é feito de seguida até Fátima. Como sempre levo o percurso gravado no GPS, mas fruto do trabalho destes voluntários, o GPS fica guardado na mochila.

Agora respondendo directamente à sua pergunta, digo que o caminho está impecavelmente bem marcado, sofreu alguns melhoramentos no seu traçado e sim, é possível ir do Porto a Fátima, praticamente sem tocar o IC2.

Pode verificar o caminho a partir do Porto até Fátima. Grande parte deste percurso tem no seu sentido contrário o Caminho de Santiago, vindo desde Lisboa. Está disponível no site oficial da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima.

(Clique aqui para aceder à segunda parte desta entrevista.)

  #Religião