Uma semana depois de oito reclusos do Estabelecimento Prisional de Castelo Branco terem sido vítimas de uma intoxicação, dois deles ainda permaneciam este domingo, 3 de Maio, nos cuidados intensivos do Hospital Amato Lusitano, naquela cidade. O conselho de administração da Unidade Local de Saúde informou, em comunicado, que os dois doentes mantinham-se internados com prognóstico reservado. Ao longo da semana os restantes seis reclusos afectados regressaram ao estabelecimento prisional e outros foram transferidos para o Hospital Prisão de Caxias. O caso continua a ser investigado pelo Ministério Público.

A situação reporta ao passado dia 26 de Abril quando os oito reclusos, com idades entre os 24 e os 53 anos, começaram a manifestar sintomas de intoxicação. Desde o início que foi avançada como causa uma intoxicação provocada, alegadamente, com uma droga com potencial alucinogénio. Depois de assistidos pelos serviços de enfermaria do próprio estabelecimento prisional e do Instituto Nacional de Emergência Médica, os reclusos acabaram por ser transportados ao Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco.

Ao longo de toda a semana, aqueles doentes foram acompanhados pelos serviços dos cuidados intensivos do hospital onde estavam internados com respiração assistida, através de ventiladores. A Unidade Local de Saúde, que integra aquele hospital, adianta que continua sem obter informações acerca do eventual químico que deu origem à intoxicação.

Dos oito homens, três foram transferidos, durante a semana, para o Hospital Prisão de Caxias, enquanto outros três regressaram ontem, 2 de Maio, ao estabelecimento prisional, uma vez que a sua situação clínica apresentava evolução favorável.

Recorde-se que, um dia depois da ocorrência, a Direcção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais anunciou a realização de um inquérito com vista a averiguar as causas dos factos. Uma investigação que ficou a cargo do Ministério Público e da Polícia Judiciária de Coimbra. Também a Procuradoria-Geral da República instaurou um processo de averiguações relacionado com a alegada introdução de substâncias ilícitas no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco e que terão estado na origem da referida intoxicação. #Casos Médicos