Um autocarro pertencente ao grupo Barraqueiro despistou-se ao final da tarde desta sexta-feira, 19 de Junho, na Auto-Estrada do Sul (A2), provocando três mortos e cerca de duas dezenas de feridos. O #Acidente ocorreu pouco depois das 18h30, ao quilómetro 193, no sentido Sul/Norte, entre a saída para Gomes Aires e Almodôvar, no distrito de Beja. Aquela estrada esteve cortada ao trânsito em ambos os sentidos para as operações de socorro que envolveram, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil, 82 operacionais auxiliados por mais de 30 veículos e um helicóptero do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). Este foi o segundo despiste de um autocarro do grupo Barraqueiro esta semana.

Depois de na madrugada de quinta-feira, 18 de Junho, um autocarro se ter despistado na A22, designada por Via do Infante, no sentido Faro - Portimão, provocando 4 mortos e cerca de 30 feridos, hoje foi a vez de um veículo pesado de transportes de passageiros voltar a ser protagonista de tragédia nas estradas do Sul do país. Ambos os veículos pertencem ao grupo Barraqueiro, liderada pelo empresário Humberto Pedrosa, que integra o grupo a quem o Governo vendeu a Transportadora Aérea Portuguesa (TAP).

O autocarro, ao serviço da Renex, despistou-se no decorrer da viagem que estava a realizar entre Lagos, no Algarve, e Lisboa, onde deveria chegar por cerca das 22 horas.

Publicidade
Publicidade

No veículo seguiam cerca de três dezenas de passageiros, dos quais três não sobreviveram aos ferimentos. O autocarro despistou-se e ficou tombado de lado na estrada, obrigado à interrupção da circulação rodoviária em ambos os sentidos, tendo o trânsito sido desviado por estradas alternativas. A auto-estrada viria a ser reaberta, no sentido Norte-Sul pouco depois das 20 horas.

De acordo com informação fornecida pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja, os feridos foram transportados para os hospitais de Beja e Faro e para o Serviço de Urgências Básicas de Castro Verde, desconhecendo-se, ainda, da necessidade de algum deles ser transferido para unidades de saúde de Lisboa.