A Sociedade Francisco Manuel dos Santos venceu o concurso para exploração do Oceanário de Lisboa, tendo de pagar 24 milhões de euros e uma renda anual. A Sociedade é a maior accionista do grupo Jerónimo Martins, que detém, entre outras, a cadeia de supermercados Pingo Doce. O Oceanário, localizado no Parque das Nações, foi entregue pela Parque Expo, sociedade criada no âmbito da Expo 98, ao Estado Português para reduzir a sua dívida. Ao concurso de exploração concorreram vários candidatos internacionais, entre eles a empresa portuguesa gestora do Zoomarine, em Albufeira.

A concessão daquele aquário de referência, que recebe anualmente cerca de um milhão de pessoas, será adjudicada por um período de 30 anos. Inaugurado por ocasião da Expo 98, cujo tema foi "Os Oceanos - um património para o futuro", o Oceanário é hoje um dos equipamentos culturais mais visitados do país. Dispõe de uma arquitectura única e contempla dois edifícios, o original dos oceanos e o novo edifício do mar.

A proposta da Sociedade Francisco Manuel dos Santos significa na prática o pagamento de 24 milhões de euros pela aquisição da totalidade do capital social da Oceanário de Lisboa, SA, empresa que gere o aquário. O relatório final do concurso de concessão está concluído e será agora submetido ao Conselho de Ministros para aprovação.

Para além da sociedade, a quem pertence o grupo Jerónimo Martins, e da Mundo Aquático, que gere o Zoomarine, apresentaram também propostas o grupo francês Campagnie des Alps, que gere mais de uma dezena de parques de lazer, museus e áreas de esqui, e a empresa espanhola Parques Reunidos, que administra 56 parques na Europa, nos Estados Unidos e na Argentina. Assim como o grupo, também espanhol, Aspro Parks, que se dedica igualmente à gestão de parques de diversões aquáticos na Europa, entre os quais o Aqualand, no Algarve.

A Sociedade Francisco Manuel dos Santos, presidida por Elísio Alexandre Soares dos Santos, foi criada pela família Soares dos Santos, à semelhança do que aconteceu com a Fundação com o mesmo nome. Esta surgiu como forma de homenagear o antigo empresário, falecido em 1953, avô de Alexandre Soares dos Santos, presidente do grupo Jerónimo Martins. #Negócios #Governo