É uma história que não deixa ninguém indiferente e já está a gerar um movimento de solidariedade. Os pais e dois dos três filhos de uma família sofrem de cancro e, além dos problemas de saúde, atravessam graves dificuldades financeiras, correndo mesmo o risco de perder a casa. O caso desta #Família de Vildemoinhos, concelho de Viseu, foi conhecido apenas ontem, domingo, e já está a gerar uma onda de solidariedade.

José Galega, de 57 anos, sofre de #Cancro no pâncreas e a mulher, Fátima, de 39 anos, está a combater um tumor maligno no estômago. Combater este tipo de doença é só por si uma grande batalha, mas este casal tem ainda de lidar com os problemas de saúde do filho João Pedro, de 14 anos, que sofre de leucemia, e da filha Ana Rita, de nove anos, que ficou recentemente a saber que tem um linfoma no intestino.

Publicidade
Publicidade

Só a filha mais nova do casal, de sete anos, tem uma vida saudável.

A doença levou os progenitores a terem que a abandonar os respetivos empregos. O pai deixou o trabalho na construção civil e a mãe abandonou o posto que tinha na área da hotelaria. A família vive agora com um rendimento mensal de pouco mais de 450 euros do Estado e conta com apoio de instituições para bens alimentares, mas isso não chega para fazer face às despesas da família. A renda da casa, mais de 250 euros por mês, onde vivem já não é paga há três meses e o senhorio já avisou que não pode esperar mais.

A notícia do drama vivido por esta família, revelada ontem pelo 'Jornal de Notícias', gerou um movimento de solidariedade. À família já chegaram inúmeras chamadas a manifestar vontade de ajudar. Também o presidente da freguesia de São Salvador, José Coelho, já abriu uma conta bancária com o objetivo de reunir os donativos.

Publicidade

A Câmara Municipal de Viseu adiantou que já tinha o caso sinalizado e conta realojar a família assim que os blocos de apartamentos municipais estiverem prontos. A mesma entidade esclarece ainda que efetuou o pagamento de algumas rendas no ano passado. Também a Cáritas e a Segurança Social estão a contribuir para o pagamento das rendas deste ano e ainda a pagar medicamentos e transportes. #Desemprego