Uma #Família de Viseu está a passar por um drama que atinge quatro dos seus cinco membros. Trata-se de um casal com três filhos, em que pai, mãe e duas das crianças lutam contra o #Cancro. Por não conseguirem fazer face a todas a despesas, estão em risco de ficarem sem casa. A Câmara Municipal de Viseu já está a par da situação e vai ajudar este agregado familiar.

O caso dramático desta família de Vildemoinhos é revelado pelo "Jornal de Notícias". As doenças destas quatro pessoas fizeram com que José, de 57 anos, e Fátima, de 39, fossem obrigados a abandonar os seus trabalhos. No entanto, o #Desemprego e a falta de dinheiro está a levá-los a uma situação insustentável.

José tem cancro no pâncreas e a esposa sofre da mesma doença, mas no estômago. Os seus dois filhos mais velhos estão também a lutar contra a doença: o mais velho tem leucemia e a do meio tem um linfoma nos intestinos. Esta família vive numa casa arrendada, mas há três meses deixou de conseguir pagar a renda de 265 euros e o senhorio já avisou que não pode continuar a comportar a falta de pagamentos. José e Fátima vivem apenas com o dinheiro que recebem de rendimento mínimo, cujo valor é de 426 euros. Todavia, este valor não chega para tudo, já que se trata de um agregado familiar numeroso e com graves problemas de saúde.

De acordo com o "Jornal de Notícias", a Câmara de Viseu tem conhecimento deste caso e garantiu que vai ajudar. A instituição irá ceder um apartamento a esta família. Actualmente, estão a ser apoiados pela Cáritas e pelas Conferências de São Vicente de Paulo com bens alimentares. Antes de o drama das doenças se abater sobre esta família, ambos os membros do casal trabalhavam. José trabalhava na construção civil e a esposa na hotelaria. Fátima só deixou de trabalhar há um ano, quando foi diagnosticada ao filho uma leucemia. João Pedro, o filho, tem noção da gravidade dos problemas de saúde que o atingem a si, à irmã e aos pais, mas procura manter-se forte e optimista, para tentar dar ânimo e esperança à sua família.

Depois de ter sido divulgada na imprensa, esta história chegou às redes sociais e está a gerar uma onda de solidariedade, nomeadamente no Facebook.