O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) anunciou esta terça-feira, 16 de Junho, que irá reforçar os seus meios de socorro até final do ano. Trata-se de um investimento de cerca de 22 milhões de euros em mais 50 novos equipamentos que se irão juntar aos mais de 600 existentes. Aqueles novos meios de socorro, de várias tipologias, serão distribuídos um pouco por todo país. Um dos objectivos é apetrechar as várias regiões com meios adequados para garantir um socorro de emergência aos sinistrados ou vítimas de doenças súbitas de forma rápida e eficiente. O anúncio foi feito através de comunicado emitido por aquele que é o organismo do Ministério da Saúde que tem sob a sua responsabilidade a coordenação do funcionamento da Emergência Médica em território português.

Segundo o INEM, as novas 2 viaturas médicas de emergência e reanimação (VMER), de intervenção pré-hospitalar que transporta uma equipa constituída por um médico e um enfermeiro com equipamento de Suporte Avançado de Vida, ficarão sedeadas em Amadora/Sintra e Barreiro, na região da grande Lisboa. Já as 7 ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV) destinam-se a Monção (Viana do Castelo), Oliveira de Azeméis, Alcobaça, São Pedro do Sul, Alcácer do Sal, Coruche e Montijo. As 13 ambulâncias irão reforçar os meios em vários pontos do país. Por sua vez, as 25 postos de emergência - ambulâncias de socorro equipadas com elementos de protecção civil - serão, também, distribuídas por vários concelhos do país, de Norte a Sul.

Os 5 motociclos de emergência, um "meio ágil vocacionado para o trânsito citadino" que transporta um desfibrilhador automático externo, oxigénio, adjuvantes da via aérea e ventilação e equipamento para avaliação de sinais vitais e outros meios de suporte básico de vida, irão para Viana do Castelo, Vila Nova de Gaia, Leiria, Seixal e Évora.

Aqueles novos meios irão reforçar o actual dispositivo de 612 equipamentos, constituído por 42 VMER, 39 ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), 56 ambulâncias de emergência, 8 motociclos e 275 postos de emergência (ambulâncias), para além de 180 postos de reserva e 12 helicópteros. #Governo