Com a chegada do Verão, o número de #Animais abandonados pelas suas famílias aumenta exponencialmente. Com o objectivo de minimizar essa problemática, José Romano, veterinário municipal, afirma que se todos os animais de estimação tiveram uma identificação electrónica registada, dificilmente existirá casos de abandono em Portugal. Apesar do número de animais registados nos municípios estar a aumentar, a maioria ainda não está na base de dados. "Conseguiremos controlar este problema de uma forma mais eficaz se for obrigatório o registo de todos os animais de estimação", avança José Romano.

Em entrevista ao jornal "I", o veterinário municipal da Figueira da Foz, José Romano, afirma ter a solução perfeita para eliminarmos de vez os cães e gatos abandonados pelos seus donos.

Publicidade
Publicidade

Como forma de proteger os animais, os registos nos municípios terão de ser obrigatórios (para todos os animais, inclusive anteriores a 2008), de forma a que estes fiquem registados no sistema e sejam rapidamente localizados em casos não só de perda mas também de abandono. Caso se verifique a intenção das famílias de abandonar os seus animais, estas teriam de ser severamente castigadas.

"O número de animais abandonados em Portugal ainda é substancial, é necessário agir rapidamente. Se os animais estiverem devidamente registados, acabamos de vez com as suas perdas e abandonos, ou seja, pelo menos de uma forma impune. A partir do pequeno chip que os animais têm, conseguimos identificar o seu dono e devolvê-lo rapidamente às suas famílias. Se verificarmos que se trata de um abandono, essas pessoas teriam que responder pelos seus actos e serem exemplarmente punidas", adiantou José Romano ao jornal "I".

Publicidade

Centenas de canis e instituições animais em Portugal têm sofrido muito com o número crescente da animais abandonados ou a viver nas ruas. E uma solução rápida e sem grandes custos, como a sugerida por José Romano, poderá ser a tábua de salvação para centenas de animais e os respectivos lares que os acolhem. José Romano pretende avançar com esta ideia o quanto antes, com o objectivo de legislar o mais rapidamente a obrigatoriedade de identificar os animais de estimação com um chip de identificação electrónica, tudo por um bem maior. #Família